Livros & Autores

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Morte no estádio

Francisco José Viegas

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Demóstenes

Orador grego, nasceu na Ática em 383 a. C. e morreu em 322 a. C.
O pai, um rico fabricante de armas, faleceu quando Demóstenes tinha apenas sete anos e os seus tutores dissiparam-lhe toda a fortuna.
Logo que a lei lho permitiu, por volta dos vinte anos, desencadeou contra eles um processo que ele próprio advogou e que venceu.
Demóstenes, um acérrimo defensor da democracia
Mas a sua dicção era desagradável e não permitia augurar-lhe grande futuro como tribuno.
Disposto a eliminar este defeito, sujeitou-se a vários exercícios, que se tornaram lendários, para melhorar a voz, ao mesmo tempo que estudava as técnicas de Isócrates e Iseu e o estilo de Tucídides.
Quando entrou na política, por volta dos trinta anos, Filipe ameaçava a independência da Grécia, e Demóstenes tornou-se, em Atenas, o chefe do partido de resistência à Macedónia, enquanto o seu rival, Ésquines, era o defensor de Filipe. Com a derrota dos Atenienses em Queroneia, a sua influência perdeu-se durante alguns anos.
Após a morte de Filipe (336), levantou os seus concidadãos, juntamente com os Tebanos, contra Alexandre. Mas esta coligação desfez-se e Demóstenes seria entregue ao vencedor. Foi o alvo das acusações dos adversários durante as campanhas de Alexandre na Ásia. Triunfou num processo em que Ésquines atacava toda a sua vida política. Acusado de ter facilitado, a troco de dinheiro, a fuga de um intendente infiel a Alexandre, teve de exilar-se.
Após a morte de Alexandre, regressa à pátria como grande triunfador; mas de novo Atenas foi vencida pelos generais macedónios e Demóstenes, em fuga, envenenou-se para não cair nas mãos dos inimigos.
Dos perto de sessenta discursos que nos ficaram, atribuídos a Demóstenes, cerca de metade são tidos como duvidosos.
Os mais célebres são: Filípicas, Olintíacas, Das Prevaricações da Embaixada e Da Coroa.
Demóstenes é um orador que subordina a sua arte às suas convicções e ao seu temperamento.
Foram estas convicções que levaram Demóstenes à resistência, embora vã, à Macedónia, pois uma nação deve sacrificar tudo à sua independência.
Este temperamento, voluntarioso e tenaz, é já notório na defesa do processo que moveu contra os seus tutores, e manifesta-se nas interpelações aos seus ouvintes, interrogando-os e fazendo-os ouvir duras verdades.
Demóstenes é senhor de narrativas vivas, de raciocínios brilhantes, baseados no bom senso, e de tiradas de espírito que são sarcasmos de profundo efeito.
A reputação de Demóstenes como orador não sofre contestação e diz-se mesmo que o próprio Ésquines, no exílio, apontava os seus discursos como modelos.
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – Demóstenes na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-06-29 11:27:07]. Disponível em

Livros & Autores

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Morte no estádio

Francisco José Viegas

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais