Academia Virtual - O Poder da Voz

Livros e Autores

A Intuição da Ilha

Pilar del Río

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

Palavras raras, palavras caras

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Duo Ouro Negro

Dueto musical angolano, Ouro Negro foi criado em 1959, em Angola, era constituído por Raul Indipwo e Milo MacMahon Vitória Pereira e tinha como objetivo divulgar o folclore angolano das várias etnias e línguas.

O nome Ouro Negro, batizado por Maria Lucília Dias do Rádio Clube do Congo Português, determinava, na zona de Benguela, tudo que fosse excecional, como o café, o petróleo, um bom jogador de futebol. O primeiro espetáculo do duo foi em Luanda e garantiu um outro, na Metrópole, onde alcançaram vários êxitos não só no cinema Roma, em Lisboa, como também no Casino Estoril. Durante a pequena estadia em Lisboa, o Duo gravou três discos.

De regresso a Angola, José Alves Monteiro entrou no grupo como terceiro elemento, mas por pouco tempo. A partir de então, o Duo Ouro Negro começou a sua grande carreira internacional, atuando na Suíça, França, Espanha, Portugal, Dinamarca, Finlândia e Suécia. Em Portugal, o êxito do grupo foi tão grande, que logo passaram a atuar em programas televisivos e radiofónicos, para além dos vários espetáculos.

Acompanhando os ritmos de dança da altura, como o "twist", o "madison ou o "surf", o Ouro Negro introduziu na Europa o kwéla que se tornou, em 1965, na grande moda musical. Em 1966, num dos momentos altos do Duo, o Ouro Negro atuou no Olympia e no Alhambra, em Paris e, em 1967, na sala Garnier da Ópera de Monte Carlo, por altura das comemorações do IV Centenário do Principado, diante dos Príncipes do Mónaco.

Nesse mesmo ano, receberam o Troféu da Imprensa em Portugal e realizaram durante três semanas em maio e outras três semanas em outubro vários espetáculos no mítico Olympia, em Paris. Presenças em programas, como o da RTP de Coroação da Rainha da Televisão de 1960 e o do Rendez-vous avec Dany Kaye, um espetáculo de comemoração do 20.º aniversário da Unicef, transmitido para mais de 200 milhões de telespectadores, proporcionaram um grande crescimento da popularidade do Duo.

A partir de 1968, o Ouro Negro conquistou o Canadá e depois os EUA, onde em Chicago assinaram um contrato com a Columbia Artists Management, notabilizando-se no Waldorf Astoría, em Nova Iorque. Em seguida, conquistaram a América Latina e depois o Japão, fortalecendo o seu prestígio a nível mundial.

Após o 25 de abril, o Ouro Negro abordou sons mais vanguardistas e, deixando de atuar em Portugal, apostou no mercado estrangeiro, com espetáculos nos Estados Unidos, Austrália e Paris.

No final dos anos 70, o duo conheceu um período de maior acalmia e, no final dos anos 80, acabaria por ver o seu fim, com a morte de Milo. Indipwo, que também pintava, prosseguiu então a sua carreira de cantor, a solo, com o nome Raul Ouro Negro, dando assim continuidade ao projeto.

Em 2000, criou a Fundação Duo Ouro Negro, uma instituição de solidariedade social que ajudava crianças africanas desfavorecidas e promovia a carreira de artistas oriundos daquele continente.

Raul Indipwo faleceu a 4 de junho de 2006, vítima de doença prolongada.

Dos muitos êxitos do duo, destacam-se "Amanhã", "Kuríkutéla", "Muxima", "Kwéla", "Maria Rita", "Blackground", "Império de Lemanjá" e "Vou Levar-te Comigo
".


Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – Duo Ouro Negro na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-10-01 12:56:02]. Disponível em
Artigos
ver+
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – Duo Ouro Negro na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-10-01 12:56:02]. Disponível em

Livros e Autores

A Intuição da Ilha

Pilar del Río

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

Palavras raras, palavras caras

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais