Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Jogo dos erros

esmalte

O esmalte é originário da China, difundindo-se para o Bizâncio no século VI d. C., sendo usado sobre placas de ouro. A partir do século XII começou a ser usado em cidades europeias como Liége, Colónia e Limoges. A partir do século XV impuseram-se os esmaltes pintados sobre cobre em países como a Itália e a França. Nessa época, a cidade de Limoges tornou-se o maior centro de produção, e as pinturas sobre o vidro tomaram inspiração em originais flamengos e em gravuras de artistas italianos.
Atualmente os esmaltes são usados devido ao seu brilho. Estas tintas utilizam solventes que lhes conferem resistência e durabilidade, aplicando-se tanto em paredes como em madeiras ou metais e dando às zonas pintadas uma proteção contra agentes químicos e naturais, sendo o seu acabamento brilhante a principal distinção em relação a outro tipo de tintas.
Estas vantagens têm o seu reverso, que neste caso se prende com os danos no meio ambiente, já que a dificuldade de aplicação e os longos períodos de secagem originam a libertação de odores tóxicos. Desta forma, a sua aplicação deve fazer-se em locais bem ventilados, utilizando quer a trincha quer um rolo de pelo raso.
Saleiro italiano revestido a esmalte
Após a aplicação deste material, as sobras não devem ser deitadas fora com o lixo comum. Se assim não for, corre-se o risco de contaminação com metais pesados e outros elementos nocivos dos solos e dos lençóis de água.
Existem vários tipos de aplicação deste material: alveolado, que consiste numa técnica de aplicação numa superfície metálica em que se fixam lâminas por soldadura de prata; alteado, aplicado sobre lâminas de cobre; translúcido, que confere baixos ou altos relevos; e nublado, à base de chumbo, aplicado por incrustação sobre uma placa de prata ou ouro.
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – esmalte na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-07-04 13:32:39]. Disponível em

Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Jogo dos erros