Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Jogo dos erros

espaço (filosofia)

O espaço remete-nos para uma problemática do ponto de vista filosófico: o de saber se o espaço é real e de carácter objetivo ou somente assim percecionado, não existindo de facto, a não ser enquanto construção mental das pessoas.
Segundo o substantivismo, o espaço é objetivo e pode considerar-se como o conjunto das regiões e das coisas que existem e que se podem localizar. A este opõe-se o relacionismo, para qual o espaço só é real mediante as suas relações espaciais com os objetos.
O conceito de espaço surge com Platão, que o designa como Khora, lugar ou recetáculo. Este conceito relaciona-se com a ideia de vazio dos Atomistas, ou seja, a negação de algo e com a teoria de lugar de Zenão de Eleia, em que, existindo um lugar, este está contido noutro lugar e assim sucessivamente até ao infinito.
Para Aristóteles, o espaço é um lugar no qual um corpo está contido, o lugar é definido como o limite de cada corpo.
Para Descartes, a definição geral de espaço é visto como extensão. Descartes sugere que o espaço é idêntico à extensão e, assim sendo, aos próprios corpos. Segundo Malebranche, o espaço é uma ideia inata.
Para Leibniz, o espaço não é uma realidade natural, mas sim um conjunto do movimento e das situações das coisas entre si, concebido como um puro sistema de relações abstratas.
Do ponto de vista de Kant, o espaço não é uma noção extraída da experiência, mas sim uma noção prévia, anterior à experiência e independente dela. É uma intuição pura a priori. Kant afirma o carácter intuitivo do espaço sensível. Para ele, o espaço é uma forma a priori da sensibilidade, ou seja, é a forma como percecionamos os objetos que nos chegam através da experiência. O espaço é uma condição de possibilidade da experiência; deve, assim, estar limitado aos fenómenos externos e a essa experiência possível que intuímos. É, assim, um dos dois limites ao conhecimento, no plano da sensibilidade, pois só se pode perceber os objetos no espaço e no tempo. Pode-se concluir que o primeiro limite ao conhecimento é a nossa sensibilidade e os seus princípios: o espaço e o tempo.
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – espaço (filosofia) na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-07-02 03:02:53]. Disponível em

Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Jogo dos erros