Livros e Autores

Abelhas Cinzentas

Andrei Kurkov

A aldeia das almas desaparecidas

Richard Zimler

A Intuição da Ilha

Pilar del Río

Bom português

puder ou poder?

ver mais

trás ou traz?

ver mais

impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

explicação teleológica

O objeto da explicação teleológica é a ação ou o comportamento intencional. É a explicação teleológica que dá conta da ação e da intenção: a explicação por intermédio das intenções ou das razões de agir é uma explicação teleológica. Isto significa duas coisas: por um lado, que não há explicação teleológica senão das ações ou dos comportamentos intencionais; por outro lado, não se pode pressupor que todo o comportamento tenha sido efetuado intencionalmente.
Von Wright, na sua obra Explanation and Understanding (1971), defende o modelo da explicação teleológica para as ações intencionais, e o modelo da explicação causal não nomológica para os acontecimentos históricos ou sociais. Para Von Wright, a explicação causal e a explicação teleológica não têm o mesmo objeto de explicação (explanandum) (o objeto da explicação teleológica é o comportamento intencional, o objeto da explicação causal é um movimento corporal ou um estado).
Deve-se, contudo, assinalar que o comportamento não pode ser teleologicamente explicado, se não for antes compreendido intencionalmente, na medida em que a compreensão precede a explicação. Ricœur diz que, na explicação teleológica, "descrever e explicar coincidem". A explicação teleológica redescreve o comportamento pelo fim ou pelo objetivo em vista do qual ele foi realizado, quer dizer, pela sua razão eficiente (aquela à luz da qual nós compreendemos o comportamento). Como o motivo da ação é também a sua causa (segundo o aspeto da disposição a... o motivo é também uma causa), a explicação teleológica ou finalista é, segundo Ricœur, um tipo de explicação causal que convém ao carácter intencional da ação. Ela é, deste modo, a mais apropriada à compreensão e à interpretação correntes do comportamento intencional. Isto na medida em que o sentido atribuído ao comportamento advém do facto de ele estar orientado para fins ou objetivos, o que corresponde às formas correntes de descrever as ações, segundo a linguagem do em vista de..., a fim de..., com o objetivo de..., na disposição de..., etc. A explicação teleológica é, assim, a mais adequada à linguagem corrente do comportamento intencional, na medida em que, sendo uma explicação por motivos, intenções, objetivos, fins a atingir, sentimentos, desejos, disposições (desejar é estar disposto a...), é própria do discurso corrente.
Tendo em conta que as perspetivas sociológicas consideram a motivação ligada à normatividade social, a explicação teleológica está de algum modo ligada a um contexto sócio-histórico de instituições, de usos e costumes, de regras.
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – explicação teleológica na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-11-28 08:30:08]. Disponível em
Livros e Autores

Abelhas Cinzentas

Andrei Kurkov

A aldeia das almas desaparecidas

Richard Zimler

A Intuição da Ilha

Pilar del Río

Bom português

puder ou poder?

ver mais

trás ou traz?

ver mais

impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais