Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Festival de Cannes

Mostra cinematográfica realizada anualmente em Cannes, na França, durante o mês de maio. A ideia da sua realização surgiu da mente de Jean Zay, ministro da Educação e Belas Artes francesa que, em 1935 fez um discurso nesse sentido. Zay havia ficado chocado quando assistira à ingerência dos governos totalitários fascistas italianos e alemães na escolha dos filmes a exibir no Festival de Veneza bem como na composição do seu júri. No seu discurso, Zay propõs a realização dum grande certame cinematográfico de nível internacional. A sua vontade só se concretizará em 1939 por influência do governo francês e ação decisiva de Georges Huisman, Diretor Geral das Belas Artes. Louis Lumière, um dos inventores e pioneiros do cinema, é convidado para presidir ao Festival com o intuito de contribuir para o desenvolvimento da arte cinematográfica e encorajar todos os países produtores a um espírito de colaboração. O primeiro certame desenrola-se nos salões do Casino Municipal, mas é interrompido devido à eclosão da II Grande Guerra. A sua primeira edição oficial só ocorrerá em setembro de 1946, marcada pela presença de filmes como Gilda (1946), de Charles Vidor e La Belle et le Bête (A Bela e o Monstro, 1946), de Jean Cocteau. Em 1948, o certame não se realiza por falta de verbas, mas em 1949 era já possível ver grandes estrelas de Hollywood como Orson Welles, Errol Flynn e Edward G. Robinson a passear nas ruas de Cannes. Nos anos seguintes, a forma como o Festival é organizado sofre alterações com a criação de prémios distribuídos por categorias. Gradualmente, os realizadores mais prestigiados optam pelo Festival de Cannes para a apresentação dos seus trabalhos. O melhor exemplo disso foi 1952, ano em que Orson Welles com o seu Othello (Otelo, 1952), Vincent Minnelli com An American in Paris (Um Americano em Paris, 1952) e Elia Kazan com Viva Zapata! (1952) dignificam a mostra com a sua presença. Em 1955, é criado o galardão máximo, a Palma de Ouro, atribuído ao melhor filme e que é considerado pelos cinéfilos como o galardão mais prestigiado a seguir ao Óscar. Durante a sua história, a Palma de Ouro premiará realizadores tão distintos como Federico Fellini, Francis Ford Coppola, Emir Kusturica ou Roman Polanski. Em 1999, o cineasta português Manoel de Oliveira recebeu o Prémio do Júri (prémio facultativo atribuído pelo Júri do Festival) com A Carta (1999). Em 2004, a Palma de Ouro foi entregue pela segunda vez no seu historial a um documentário, Fahrenheit 9/11 (2004), do controverso Michael Moore.
Poster do filme "As Bodas de Deus", de João César Monteiro, exibido no Festival de Cannes
Pormenor da entrada do pavilhão onde se realizou a 52.ª edição do festival de cinema de Cannes (1999)
Pavilhão onde se realiza o festival de cinema de Cannes
Poster oficial do filme "Underground", de Emir Kusturica, Festival de Cannes, 1995
Cartaz de "Tempo dos Ciganos", um filme de 1989, que valeu a Emir Kusturica o Prémio do Melhor Realizador no festival de Cannes
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – Festival de Cannes na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-07-04 07:05:16]. Disponível em
Artigos
ver+

Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais