Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Fornos de Algodres

Aspetos Geográficos
O concelho de Fornos de Algodres, do distrito da Guarda, localiza-se na região Centro (NUT II) na Serra da Estrela (NUT III). É limitado a norte por Aguiar da Beira e Trancoso, a leste por Celorico da Beira, a sul por Gouveia e a oeste por Mangualde e Penalva do Castelo (ambos no distrito de Viseu).
Fica situado a sul dos concelhos de Aguiar da Beira e de Trancoso, a oeste do concelho de Celorico da Beira, a norte do concelho de Gouveia e a este dos concelhos de Mangualde e Penalva do Castelo, estes dois últimos pertencentes ao distrito de Viseu.
Brasão do concelho de Fornos de Algodres
Igreja da Misericórdia em Fornos de Algodres
O concelho estende-se por uma área de 131,5 km2 e tem 16 freguesias: Algodres, Maceira, Matança, Muxagata, Cortiçô, Infias, Fornos de Algodres, Fuinhas, Queiriz, Sobral Pichorro, Vila Ruiva, Casal Vasco, Vila Soeiro do Chão, Vila Chã, Figueiró da Granja e Juncais.
Em 2005, o concelho apresentava 5453 habitantes.
O natural ou habitante de Fornos de Algodres denomina-se fornense.
História e Monumentos
Neste concelho existem vestígios de tempos bastante remotos como, por exemplo, o dólmen da Casa da Orca. Para além disso, podem observar-se castros, como o de Santiago em Figueiró da Granja.
Em Fornos de Algodres, próximo da Capela de N. Sra. da Graça, encontram-se vestígios de um troço da via romana que fazia a ligação de Mérida a Viseu.
Tradições, Lendas e Curiosidades
As festas da vila mais conceituadas são as que se realizam em agosto, a de N. Sra. da Graça, e a de S. Miguel a 29 de setembro que coincide como feriado municipal.
Na Capela-mor da Igreja Matriz está gravado em pedra o busto do fundador da povoação, chamado Algodres.
A tradição do cepo de Natal consiste em colocar um grande tronco de árvore em frente à porta da igreja e com ele fazer uma grande lareira, para que, no final da Missa do Galo, as pessoas se reúnam e convivam. Segundo a crença, serve para aquecer e confortar o Menino Jesus.
Na Páscoa, durante a Semana Santa, realiza-se a procissão "Regrar os Passos", que consiste em entoar cânticos característicos da região enquanto passa a procissão.
O artesanato típico do concelho consiste em peças de latoaria, tamancaria, cestaria, olaria, arraiolos, rendas e bordados.
Economia
A agricultura é predominante nesta região. Cultiva-se o centeio, o milho, o feijão, a batata, a videira e a oliveira. As grandes produções do concelho são o vinho e o azeite, que são exportados em grande quantidade. A criação de gado ovino e caprino constitui outro aspeto importante na economia da região, a par com a produção de queijo.
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – Fornos de Algodres na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-07-02 03:53:52]. Disponível em

Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais