Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Francis Bacon (pintor)

Pintor autodidata, Francis Bacon nasceu em Dublin em 1919, de pais ingleses, e viria a morrer em Madrid, a 28 de abril de 1992. Nunca recebeu uma educação artística formal, contentando-se, segundo as suas próprias palavras, em "experimentar". A influência de Picasso (que viria a criticar) e da estética cubista faz-se sentir nos primeiros trabalhos. Instalou-se em Londres como decorador de interiores, mas privilegiando sempre a pintura. Em 1933 a sua Crucificação ilustrava o livro de Herbert Read Art Now. Pintou muitos trabalhos em série, a partir de fotografias por vezes rasgadas e amarrotadas, que acumulava no chão, de animais selvagens, de combates de boxe, de futebolistas. O retrato de Inocêncio X de Velásquez viria a tornar-se uma obsessão na sua obra. Nos anos 50 pintou uma série de telas inspiradas nas máscaras de William Blake e na pintura de Van Gogh. As figuras são solitárias, sofredoras, anómalas, deformadas, vorazes. Tratava-se de ir mais longe do que a mera representação ou narração pictural. Para Bacon, tratava-se de reencontrar a sensação. Durante muito tempo o seu objetivo foi o de capturar a expressão instintiva e animal da dor. Dor e violência enquanto confrontos com a vida e com a morte: em Tríptico em homenagem a George Dyer (1971) a morte atinge-o pessoalmente. Para classificar a sua pintura usaram-se adjetivos como visceral, alucinante, brilhante, chocante, visionária. Enquanto artista, viveu a compulsão de rasgar o véu das aparências.
"Estudo do Retrato do Papa Inocêncio X segundo Velásquez", óleo sobre tela de Francis Bacon, 1953
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – Francis Bacon (pintor) na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-07-04 07:36:13]. Disponível em

Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais