Livros & Autores

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Morte no estádio

Francisco José Viegas

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Jogo dos erros

Fronteira

Aspetos Geográficos
O concelho de Fronteira, do distrito de Portalegre, localiza-se no Alentejo (NUT II), no Alto Alentejo (NUT III). Ocupa uma área de 248,5 km2 e abrange três freguesias: Cabeço de Vide, Fronteira e São Saturnino.
O concelho encontra-se limitado a norte pelo concelho de Alter do Chão, a este por Monforte, a sul por Estremoz (distrito de Évora) e Sousel e a oeste por Avis.
Largo dos Trigueiros, em Fronteira
Brasão do concelho de Fronteira
O concelho apresentava, em 2005, um total de 3471 habitantes.
O natural ou habitante de Fronteira denomina-se fronteirense.
Possui um clima marcadamente mediterrânico, caracterizado por uma estação seca bem acentuada no verão. A precipitação ronda os 500 mm entre os meses de outubro e março e os 170 mm no semestre mais seco.
O edificado estende-se por um terreno ondulado, na margem esquerda da ribeira de Avis. O terreno é pouco acidentado, sendo somente de destacar os montes, Banamar (253 m) e Branco do Mato (254 m).
Como recursos hídricos, possui a ribeira de Carvalho, a ribeira de Chaminé, a ribeira de Vide, a ribeira Grande, a ribeira de Ana Louro, a ribeira da Aldeia e a ribeira de Juncal.
História e Monumentos
Fronteira foi fundada por D. Sancho II, em 1226, havendo indícios de ocupação romana. A 6 de abril de 1384, no local pantanoso de Atoleiros, travou-se uma batalha entre as tropas de Castela e de Portugal, sendo as de Portugal comandadas por D. Nuno Álvares Pereira. Os portugueses saíram vitoriosos, graças à estratégia elaborada por D. Nuno Álvares Pereira ao utilizar uma nova técnica defensiva, introduzida na Europa com a Guerra dos Cem Anos, em que se formou um quadrado eriçado de lanças, onde se "cravavam" os inimigos.
Ao nível do património monumental e arquitetónico, destacam-se a Igreja Matriz, datada de 1594, que possui três naves assentes em arcos redondos sobre pilares quadrangulares e apresenta altares de mármore. A Igreja do Espírito Santo, datada de 1573, que apresenta um pórtico da Renascença. A Torre do Relógio, construída em 1613 e restaurada em 1873 e que é de coruchéu azulado. A Igreja do Senhor dos Mártires, que apresenta um altar-mor de mosaico com colunas salomónicas de mármore. É de destacar também a Igreja da Senhora da Vila Velha, que possui azulejos policromos do século XVII, os Paços do Concelho e as casas-moradia do século XVIII, com uma sacada de ferro forjado e lavrado e de janelas duplas.
Tradições, Lendas e Curiosidades
São diversas as manifestações populares e culturais no concelho: a festa da Senhora das Candeias, no Cabeço de Vide, a 2 de fevereiro; o feriado municipal e a comemoração da batalha dos Atoleiros, no dia 6 de abril; a festa da Santa Cruz Fronteira, a 2 de maio; a Feira de S. Pedro, a 29 de junho; e as festas populares de Vale de Maceiras, em julho.
Como personalidades ilustres ligadas a Fronteira, destacam-se: Frei Manuel Cardoso (1566-1650), compositor, natural do concelho, que marcou a história da cultura musical portuguesa nos séculos XVI e XVII. Tem publicados seis livros, sendo quatro de missas, um de "Magnificas" e outro da Semana Santa; Cândido de Oliveira, órfão, cresceu na Casa Pia e ajudou a fundar o Casa Pia Atlético Clube. Foi jogador e "capitão" da primeira Seleção Nacional, selecionador nacional, treinador do Belenenses, dos "violinos" do Sporting, do F. C. Porto e da Associação Académica de Coimbra. Fundou em 1945, com Ribeiro dos Reis e Vicente de Melo, o jornal A Bola; e o Padre Francisco Lopes, que faleceu em Fremona, na Abissínia, a 15 de maio de 1597, com 80 anos e que foi missionário na Etiópia durante 40 anos.
São três as lendas mais conhecidas na região: a da moura encantada, a de S. Bento das Lapas e a da Batalha dos Atoleiros. Reza esta última lenda que, durante a batalha dos Atoleiros, os soldados beberam água do ribeiro que corria perto e que estava manchado de sangue dos que ali caíam mortos. O ribeiro é ainda hoje apelidado de "Ribeiro das Águas Belas" e, a mando de Nuno Álvares Pereira, foi ali colocada uma bilha com água para saciar quem passa.
Economia
No concelho predominam as atividades ligadas aos setores terciário e primário. O setor secundário tem um peso insignificante.
No que se refere à agricultura destacam-se os cultivos de cereais para grão, os prados temporários e culturas forrageiras, as culturas industriais, o pousio, o olival, os prados e pastagens permanentes. A pecuária tem também alguma importância, nomeadamente na criação de suínos, ovinos e bovinos.
Cerca de 14% (710 ha) do seu território está coberto de floresta.
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – Fronteira na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-06-27 21:31:09]. Disponível em
Artigos
ver+

Livros & Autores

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Morte no estádio

Francisco José Viegas

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Jogo dos erros