Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Jogo dos erros

Garfield

Garfield, o mais famoso, preguiçoso e guloso gato da banda desenhada, surgiu na imprensa diária dos Estados Unidos da América a 19 de junho de 1978, sendo o seu autor Jim Davis.
Presunçoso e egocêntrico, insuportável e exigente, baixinho e redondinho (nunca lhe chamem gordo!), de pelo cor de laranja e olhos verdes, Garfield, como qualquer gato que se preze, gosta muito da sua vida pachorrenta em casa de Jon Arbucle, o seu dono. Como principais atividades dorme, muito, mesmo muito, adora ver televisão e devora tudo quanto é comida italiana, sobretudo lasanha, pizza e esparguete. A explicação para este facto é muito simples: terá nascido na cozinha do restaurante italiano Mama Leone. Mas claro que outras iguarias "marcham" igualmente em direção à boca deste verdadeiro glutão.
Nos momentos em que está acordado e não a dormir, como habitualmente, ou a ver televisão, ou a comer, gosta muito de arreliar o seu dono, pregando-lhe as mais variada partidas (revelando-se o seu conhecido lado cínico) ou então de preparar os mais esquisitos pratos!
Garfield e Odie, da autoria de Jim Davis
Deste modo, a vida de Garfield não poderia correr pelo melhor, até ao dia em que o seu dono resolve comprar um cão, Odie, que não para de abanar a cauda e está sempre de língua de fora, julgando que todas as patifarias que Garfield lhe faz são meras brincadeiras. Mas a pouco e pouco Odie vai-se integrando, formando um trio de pândegos com Jon e Garfield.
Inicialmente publicado em 41 jornais (1978), rapidamente aumentou o número de periódicos que publicavam as suas tiras diárias: 100 em 1979, 1400 em 1983, mais de 2000 em 1987 e 2500 em 1995.
Em 1998, ano em que celebrou os seus primeiros 20 anos, plenos de êxitos, foi inaugurado o seu parque de diversões, The Garfield Fat Cat Kingdom Parc, em Hendricks Country, no Estado de Indiana (EUA), foi apresentado um espetáculo comemorativo nas principais cidades dos EUA e foi realizada no Centre Belge de la Bande Dessinée (Centro Belga de Banda Desenhada), em Bruxelas, a maior retrospetiva alguma vez realizada em torno da obra maior de Jim Davis, Garfield.
Mesmo em termos musicais Garfield deixou a sua marca: em 1987 estreou a peça The Garfield Family Concert, acompanhada de uma orquestra sinfónica e em 1991 foi editado o seu CD, Garfield Am I Coolor what?.
Em 1980 foi lançado o primeiro álbum, Garfield at Large (Garfield à solta), que rapidamente atingiu o topo das preferências do The New York Times, situação que se voltou a repetir no ano seguinte, com a edição de mais três álbuns.
As suas tiras diárias encontram-se reunidas em diversos livros, muitos dos quais editados em Portugal: 10 pela Meribérica/Liber (em 1986, 1997 e 1999), 6 pela Presença (entre 1992 e 1993), 4 pela Book Tree (em 2003) e 6 livros da Book Tree apresentados pela revista Sábado (em 2004).
Sendo uma das personagens de BD mais publicadas em todo o mundo, é natural que esteja associada aos mais variados produtos derivados, sem esquecer as séries de desenhos animados que reflete fielmente o espírito original das tiras diárias. O primeiro desenho animado estreou em 1982 e obteve os dois primeiros Emmy Awards de vários que tem recebido. Em 1988 surgiu a série animada "Garfield and Friends", difundida em televisões de diversos países.
Em 2004 estreou o seu filme, Garfield, em que é representado através dos mais modernos meios da animação em três dimensões e que se tornou num dos grandes sucessos do verão nas salas de cinema de vários países que, com meses de antecedência, apresentaram enormes Garfield insufláveis a anunciar a longa metragem.
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – Garfield na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-08-16 10:35:29]. Disponível em

Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Jogo dos erros