Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Jogo dos erros

Gene Kelly

Ator, bailarino, coréografo e realizador norte-americano, de seu nome completo Eugene Curran Kelly, nascido em 23 de agosto de 1912 em Pittsburgh e falecido em 2 de fevereiro de 1996 em Beverly Hills. É considerado, em conjunto com Fred Astaire, um dos melhores bailarinos do cinema dos anos 40 e 50. Estudou Economia na Universidade da Pensilvânia, tendo pago os estudos trabalhando como operário de construção civil. Em 1935, juntamente com o seu irmão Fred, começou a dar aulas de dança. Ambos tiveram alguma notoriedade a nível local, o que os encorajou a procurar emprego como coreógrafos em Nova Iorque. Só Gene conseguiu singrar na Broadway, atraindo a atenção dos principais produtores de Hollywood. David O. Selznick antecipou-se e propôs-lhe contracenar com Judy Garland em For Me and My Gal (O Prémio do Teu Amor, 1942). Seguiu-se uma rápida incursão pelo género dramático, protagonizando o filme de guerra The Cross of Lorraine (A Cruz da Lorena, 1943), mas era no musical que Kelly se sentia à vontade, colocando em prática o seu género de dança imaginativa e musculada. Rodou Cover Girl (Modelos, 1944), Anchors Aweigh (Paixão de Marinheiro, 1945), que lhe valeu a nomeação para o Óscar de Melhor Ator, The Pirate (O Pirata dos Meus Sonhos, 1948), The Three Musketeers (Os Três Mosqueteiros, 1948) e An American in Paris (Um Americano em Paris, 1951). Em 1951, recebeu um Óscar Honorário como reconhecimento da sua versatilidade como ator, cantor, realizador, dançarino e coreógrafo. No ano seguinte, co-realizou com Stanley Donen e interpretou aquela que viria a ser a sua prestação mais célebre: Singin' in the Rain (Serenata à Chuva, 1952), que foi considerado quase unanimemente como o melhor musical de sempre. Enveredou pela realização, demonstrando esse talento It's Always Fair Weather (Dançando nas Nuvens, 1955) e Invitation to the Dance (Convite à Dança, 1956), um musical sem diálogos que lhe valeu o Urso de Ouro do Festival de Berlim. Com a lenta decadência do género musical, Kelly procurou novos rumos: contracenou com Spencer Tracy e Frederic March em Inherit the Wind (O Vento Será a Tua Herança, 1960) e foi dirigido por Jacques Demy em Les Demoiselles de Rochefort (As Donzelas de Rochefort, 1967). O seu último filme foi Xanadu (1980), ao lado de Olivia Newton-John, que se traduziu num grande fracasso de bilheteira. Retirou-se, aparecendo esporadicamente como ator convidado em séries televisivas como North and South (Norte e Sul, 1985) e Sins (Pecados, 1986).
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – Gene Kelly na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-07-04 06:40:38]. Disponível em

Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Jogo dos erros