Livros & Autores

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Morte no estádio

Francisco José Viegas

Violeta

Isabel Allende

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Jogo dos erros

Graham Greene

Escritor inglês nascido a 2 de outubro de 1904, em Berkhamsted, Hertfordshire, e falecido em abril de 1991, na cidade de Vevey, na Suíça. Exerceu várias profissões, foi jornalista, correspondente de guerra, crítico de cinema e trabalhou para os serviços secretos - experiência que marcou a sua escrita.
Na infância, ao contrário dos seus colegas de escola, Henry Graham Greene preferia ficar a ler livros de aventuras em vez de praticar desporto. Teve muitos problemas na escola, agravados pelo facto do pai ser o diretor do estabelecimento. Tentou por diversas vezes o suicídio até que um dia fugiu de casa. Depois de ter sido encontrado foi enviado a um terapeuta em Londres, isto numa altura em que tinha quinze anos. Acabou por ser o médico a encorajá-lo a escrever e apresentou-lhe alguns amigos escritores.
Greene foi então estudar História Contemporânea para a Universidade de Oxford. Paralelamente, foi editor no jornal Oxford Outlook e escreveu um romance, intitulado Anthony Sant. Na mesma altura, filiou-se no Partido Comunista.
Licenciou-se em 1925 e foi trabalhar como subeditor no Nottingham Journal. Entretanto conheceu Vivien Dayrell-Browning, que viria ser sua mulher, após esta lhe ter escrito a apontar erros sobre o catolicismo nos seus textos. Graham Greene acabou por estudar o tema e tornou-se católico em 1926.
Logo a seguir, foi trabalhar para Londres como subeditor do The Times e casou com Vivien em 1927. Continuou a escrever mas só com The Man Within conseguiu alcançar o sucesso. De tal forma que resolveu dedicar-se a tempo inteiro à carreira de escritor. No entanto, conheceu alguns fracassos que o levaram a aceitar um trabalho como crítico literário no The Spectator. As dificuldades financeiras fizeram com que Greene escrevesse Stamboul Train, um romance assumidamente comercial.
A partir dessa altura começou a alternar romances sérios com outros mais ligeiros, que ele próprio classificou de entretenimento.
Dedicou-se também à crítica de cinema e à escrita de argumentos para filmes. O mais conhecido de todos foi The third Man (O Terceiro Homem), de 1949, com Orson Wells como protagonista. A sua experiência no mundo cinematográfico, quer como crítico quer como argumentista, influenciou a sua escrita, no modo como descreve as suas personagens, as cenas envolventes e o desenrolar da ação.
Como correspondente de guerra, Graham Greene viajou bastante por vários lugares, essencialmente da Ásia e da América Latina. Inconformado perante a injustiça social e a corrupção política que testemunhou nos percursos geográficos que fez, transpôs as suas experiências para as suas obras, como em Our Man in Havana (1958, O Nosso Agente em Havana) e Honorary Consul (1973, O Cônsul Honorário). As perseguições religiosas que presenciou no México em 1938 levaram-no a escrever The Power and the Glory (1940, O Poder e a Glória). O livro foi aclamado pela crítica e ganhou o Hawthorden Prize em 1941, mas foi condenado pelo Vaticano.
Durante a Segunda Guerra Mundial (1939-1945) trabalhou para os serviços secretos britânicos na Serra Leoa, o que lhe deu inspiração para mais romances. Greene foi por diversas vezes acusado de ser espião, mas limitou-se a dizer que era amigo do diretor dos serviços secretos britânico.
Foi ainda acusado de ser anti-americano depois de ter escrito o romance The Quiet American (1955, O Americano Tranquilo), que, curiosamente, mais tarde viria ser adaptado ao cinema pelos próprios norte-americanos.
Graham Greene escreveu vários romances de sucesso, para além dos mencionados, como The End of the Affair (1952, O Fim da Aventura) e The Human Fator (1978, O Fator Humano).
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – Graham Greene na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-05-19 02:46:08]. Disponível em

Livros & Autores

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Morte no estádio

Francisco José Viegas

Violeta

Isabel Allende

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Jogo dos erros