Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Jogo dos erros

Igreja Matriz de Dornes

Patrocinada pela Rainha Santa Isabel nos finais do século XIII, a Igreja Matriz de Dornes, em Ferreira do Zêzere, seria reconstruída em 1453, vindo a ser reformada nos séculos XVII e XVIII. Para além de diferentes revestimentos azulejares, esta igreja ribatejana possui um belo púlpito datado de 1544, um conjunto de pinturas quinhentistas e um retábulo do século XVII.
De invocação a N. Sra. do Pranto, a Matriz de Dornes foi fundada em finais do século XIII, mas as modificações posteriores alteraram decisivamente a sua volumetria.
À direita do portal de entrada pode-se observar uma inscrição com caracteres góticos alusivos à fundação da igreja e ainda o escudo heráldico dos Sousas. Sobre a cimalha da frontaria expõem-se duas esculturas de pedra. Outros sinais góticos surgem na zona superior da porta lateral da igreja, provavelmente inscrição de uma lápide funerária ligada a Simão Álvares.
Contígua à igreja fica a torre medieval da povoação, construída em xisto, de formato pentagonal e aproveitando parte de uma anterior de origem romana, transformada no século XVI em torre sineira.
Com cobertura de madeira ostentando o escudo da Rainha Santa, a nave é ampla e está ornamentada com seis altares. As paredes e o remate superior do arco triunfal são forrados com azulejos padronizados do século XVII, podendo ver-se ainda na nave um órgão de tubos e um elegante púlpito datado de 1544 - apresentando decoração floral e uma cruz de Cristo na sua mísula. Na parede do lado da Epístola expõe-se uma tábua pintada com o Repouso na Fuga para o Egito, obra maneirista do último terço de Quinhentos.
A capela-mor está coberta por uma abóbada em caixotões preenchidos com pintura decorativa oitocentista, enquanto as suas paredes são revestidas de azulejos azuis e brancos. O retábulo-mor é uma composição de talha dourada, do Barroco Nacional dos finais do século XVII, ostentando no fecho do remate o escudo nacional.
Do acervo da igreja é ainda de destacar uma lâmpada do século XVII e um conjunto de oito esculturas hagiográficas em pedra do século XVI, com realce para uma notável Santa Catarina e uma expressiva N. Sra. do Pranto.
Em 1943, a Igreja Matriz de Dornes obteve a classificação de Imóvel de Interesse Público (IIP).
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – Igreja Matriz de Dornes na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-08-14 01:21:09]. Disponível em

Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Jogo dos erros