Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Igreja Matriz de Ponte de Lima

A Igreja Matriz de Ponte de Lima mantém-se fiel ao traço românico do Norte, apesar de ter sido erguida numa altura em que o gótico conhecia larga expansão. A igreja foi terminada em meados do século XV, e, mais tarde, já no reinado de D. Manuel I, foi concluída a sua torre.
Esta não foi a primeira matriz de Ponte de Lima, antes funcionava numa Ermida da Irmandade do Espírito Santo. Com o desenvolvimento da vila limiana, tornou-se necessário construir uma igreja de maiores dimensões.
A fachada principal apresenta-se dividida em dois corpos por cornija ressaltada. O piso térreo é marcado por um pórtico composto de quatro arquivoltas, algumas contornadas com frisos perlados, assentes em colunelos capitelizados. No corpo superior rasga-se elegante rosácea, de grande vão, com molduras circulares concêntricas e ressaltadas, algumas igualmente ornadas por friso perlado. No vão desenvolve-se trabalho em pedra radiante. À direita do alçado principal, rematado por empena triangular coroada por uma cruz, aparece-nos a torre sineira. Tal como a restante construção da igreja, em pedra aparelhada, a torre abre-se em quatro ventanas de arco pleno, encimadas por relógios e rematadas por ameias de chanfros.
Igreja Matriz de Ponte de Lima
Aos acrescentos da torre feita no século XVI, segue-se a introdução de um arco abatido que sustenta o coro, rasgando-se na esquerda da entrada a Capela de Nossa Senhora da Conceição, encomendada por Inês Pinto - com cobertura de magnífica abóbada circular nervada, tendo as chaves profusamente decoradas com ornatos formados por uma série de linhas geométricas entrecruzadas e laçarias. Outras capelas surgem da parte de encomendantes particulares e aumentando a igreja, que, entretanto, se tornou colegiada por despacho de D. Frei Bartolomeu dos Mártires, arcebispo de Braga.
Com a intervenção dos Monumentos Nacionais em meados do século XX, foram retiradas certas alterações setecentistas, assim se devolvendo ao edificio a sua sóbria beleza. De Setecentos sobrevivem os retábulos em esplendorosa talha dourada de 1729, como o da Capela de Nossa Senhora das Dores. Aqui só não é original o painel central, pintado já no nosso século.
Na capela-mor o altar é recoberto, na face principal, por uma talha policroma alusiva à Última Ceia. O altar-mor reveste-se de um grande número de relíquias de santos portugueses e estrangeiros.
Merecedora de atenção é uma Pietà de impressionante expressividade, obra dos séculos XVI-XVII e colocada na Sacristia, assim como um bonito presépio do século XVII.
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – Igreja Matriz de Ponte de Lima na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-08-14 19:06:32]. Disponível em

Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais