Livros e Autores

Abelhas Cinzentas

Andrei Kurkov

A aldeia das almas desaparecidas

Richard Zimler

A Intuição da Ilha

Pilar del Río

Bom português

puder ou poder?

ver mais

trás ou traz?

ver mais

impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Iluminismo

Nos meados do século XVIII, a França, que se afundaria na Revolução, pontifica na Europa, quer política quer literariamente. Os grandes vultos da sua literatura da época são, simultaneamente, grandes políticos. Refiram-se Voltaire, Jean-Jacques Rousseau, Montesquieu, Diderot, d'Alembert e Mirabeau. Até nós chega o eco da campanha de promoção social com vista ao progresso humano, a qual, mais ou menos com tendências materialistas, eles desenvolveram. E o Iluminismo que surge na Holanda e na Inglaterra no século XVII com Locke e Newton espalha-se, no século seguinte, pela Europa, conquistando o interesse de Frederico II da Prússia e de Catarina da Rússia.
Em Portugal, este movimento tem a sua primeira fase com D. João V e os diplomatas que o cercam, como D. Luís da Cunha, Alexandre de Gusmão e Francisco Xavier de Oliveira (o Cavaleiro de Oliveira). Também são precursores desta renovação o 3.o conde de Ericeira, D. Luís de Meneses, e, ainda mais, o 4.o conde de Ericeira, D. Francisco de Meneses, que traduziu a Arte Poética de Boileau. Este conde transforma a Academia dos Generosos nas Conferências Discretas e Eruditas, realizadas em sua casa, donde sairão sócios para a Academia da História, criada em 1720. Nas Conferências falava-se de assuntos de interesse científico e criticava-se o Barroco. Associam-se a este lançamento cultural o Pe. Rafael Bluteau (que escreve um Vocabulário Português-Latim), Manuel de Azevedo Fortes, que difunde as suas ideias sobre o estudo moderno das matemáticas, e Jacob de Castro Sarmento, que introduz o estudo da Física de Newton. E, como D. João V se preocupava com a pedagogia como forma de iluminação, possibilita a presença de Luís António Verney em Itália e a publicação do seu Verdadeiro Método de Estudar.
D. José adere ao movimento que ficou conhecido com o nome de "despotismo iluminado" e lançou o Marquês de Pombal no surto de uma renovação de vulto. Dos seus colaboradores, distingue-se António Nunes Ribeiro Sanches, que escreveu as Cartas sobre a Educação da Mocidade e o Método para aprender a estudar Medicina. O Marquês cria o Colégio dos Nobres, gabinetes, laboratórios, museus...
À terceira fase do Iluminismo ligam-se o Duque de Lafões e o Abade Correia da Serra, que criam a Academia Real das Ciências. Mas a orientação deles, que teria sido valiosa nas fases precedentes, sai fora das linhas do Iluminismo - o «século das luzes» que levara o homem à realidade. A chamada "Querela dos Antigos e dos Modernos" confirma o interesse que o Iluminismo teve nos princípios em que se baseou. Descartes entra na liça com a velha Escolástica e ultrapassa-a. O «magister dixit», que surgira da autoridade aristotélica, foi superado pelo neoplatonismo no século XVI e, agora, no «século das luzes», por Descartes com o seu Discurso do Método. A projeção do pensamento cartesiano foi extraordinária, quer na literatura, quer no domínio das ciências. Bacon dera os primeiros passos, quando afirmou que «a verdadeira filosofia é (...) aquela que é tão somente a ressonância, o reflexo da realidade». Descartes vem concluir, afirmando: «Não aceitar nunca qualquer coisa como verdadeira sem a reconhecer evidentemente como tal». Eis o programa da dúvida metódica, que leva à ciência experimentalista.
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – Iluminismo na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-11-28 11:17:37]. Disponível em
Artigos
ver+
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – Iluminismo na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-11-28 11:17:37]. Disponível em
Livros e Autores

Abelhas Cinzentas

Andrei Kurkov

A aldeia das almas desaparecidas

Richard Zimler

A Intuição da Ilha

Pilar del Río

Bom português

puder ou poder?

ver mais

trás ou traz?

ver mais

impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais