Academia Virtual - O Poder da Voz

Livros e Autores

A aldeia das almas desaparecidas

Richard Zimler

A Intuição da Ilha

Pilar del Río

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

Palavras raras, palavras caras

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Independências na América Central

A primeira revolta mexicana que reivindicava a independência foi liderada por um sacerdote da localidade de Dolores, de seu nome Miguel Hidalgo y Costila, a 16 de setembro de 1810. Esta intentona foi inconsequente e o movimento libertador foi continuado por outro homem da Igreja, José Maria Morelos y Pavon, que proclamou em 1813 a República do México independente da Espanha. Em 1815, o exército de Morelos foi derrotado pelas forças realistas comandadas por Agustín de Iturbide, um crioulo leal aos espanhóis, que mais tarde se confrontou com o novo líder rebelde Vicente Guerrero, em 1821, numa altura em que o panorama político fora alterado pela Revolução espanhola de 1820, a qual permitiu a assinatura de um pacto entre as duas forças para unirem esforços na luta pela independência. O plano de Iguala ou das "Três Garantias" previa a independência do país, governado por uma monarquia, a elevação da religião católica a religião estatal e a igualdade de direitos para espanhóis e crioulos. Os partidários da dominação espanhola afastaram o inoperante vice-rei. Juan O'Donojú foi o último vice-rei a ser nomeado, mas ao chegar ao seu termo em 1821 não teve alternativa senão aceitar os termos do Tratado de Córdova, que conferia a independência ao México.
Guatemala
Este país da América Central, conquistado por Pedro de Alvarado em meados do século XVI (1523-1524), tornou-se independente a 15 de setembro de 1821, sendo incorporado por Agustín de Iturbide no Império mexicano, até 1823, quando voltou a ser independente em virtude de uma revolução decorrida no México que derrubou Iturbide. Também em 1823 foi estabelecida a União das Províncias da América Central, integrando a Guatemala, as Honduras, El Salvador, a Nicarágua e a Costa Rica, que se manteve até 1838.
Honduras
As Honduras, que outrora estiveram ligadas ao império pré-colombiano Maia, associaram-se à União das Províncias da América Central em 1823. Passados quatro anos (1827), o país era assolado por uma guerra civil, que se prolongou até 1829. Francisco Morazén, o líder da fação liberal, veio a ser o último presidente desta União, até ser afastado em 1842. Em 1840 a Guatemala declarava-se independente.
Belize
O Belize também fez parte do Império Maia, no entanto, veio depois a integrar outros impérios, como o espanhol em 1500, seguidamente o britânico, a partir de 1786. Em 1862 o Belize era considerado uma colónia subordinada à Jamaica, tornando-se em 1884 uma colónia independente da Coroa britânica. Só seria verdadeiramente independente a 2 de setembro de 1981.
El Salvador
País de raízes maias, dominado pelos espanhóis desde 1520 e pelos mexicanos na época de Iturbide, mais tarde membro integrante das Províncias Unidas da América Central, libertou-se desta federação a 1 de janeiro de 1941.
Nicarágua
A costa deste país foi avistada pela primeira vez pelo descobridor Cristóvão Colombo em 1502, todavia a instalação dos espanhóis em terras da Nicarágua só tiveram início em 1522 e foram continuadas em 1523 e 1524. A luta pela independência deste país relativamente a Espanha foi impreendida em 1821, porém em 1822 foi obrigado a fazer parte do império mexicano e em 1823 juntou-se à União das Províncias da América Central.
As forças liberais da Nicarágua não cessaram de lutar pela sua emancipação e em 1838 declararam uma república, o que levou o país a uma guerra civil em 1855. William Walker, um aventureiro americano ("gringo"), veio auxiliar os liberais e em 1856 foi eleito presidente da Nicarágua.
Panamá (1903)
Este país, a par de outras nações centro-americanas proclamou-se independente da Espanha em 1821, aproveitando um clima propício aos movimentos independentistas, e por vontade própria ficou a pertencer à Colômbia. Esta aliança não se mostrou muito vantajosa para o Panamá, que lutou por se separar da Colômbia, o que viria a suceder em 1842. Este processo complicou-se em 1846, quando os americanos garantiram a subserviência do Panamá face à Colômbia em troca de regalias relativas a direitos de transporte sobre os istmos do Panamá. Em 1855, a situação do Panamá melhorou e em 1863 uma renovada Constituição concedeu temporariamente a independência do país, até restaurar o seu controlo em 1866, provocando muitas manifestações de descontentamento por parte dos panamianos. No início do século XX (1903), o Panamá passou a decidir o seu destino, sendo reconhecida a sua independência pelos Estados Unidos da América.
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – Independências na América Central na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-10-07 16:06:18]. Disponível em
Artigos
ver+
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – Independências na América Central na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-10-07 16:06:18]. Disponível em

Livros e Autores

A aldeia das almas desaparecidas

Richard Zimler

A Intuição da Ilha

Pilar del Río

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

Palavras raras, palavras caras

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais