Livros & Autores

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Morte no estádio

Francisco José Viegas

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Indícios de Oiro

Volume de poesia póstumo, deixado pronto para edição pelas mãos de Mário de Sá-Carneiro, que tem o cuidado de, antes de se suicidar, o expedir de Paris para Fernando Pessoa, a quem lega a responsabilidade da sua edição. Redigida entre junho de 1913 e dezembro de 1915, esta coletânea de 38 composições corresponde à produção poética dos anos em que, vivendo em Paris e correspondendo-se com Fernando Pessoa, revela certa permeabilidade às ruturas formais operadas por um modernismo em processo de gestação, aderindo a alguns dos travejamentos que integram as estéticas paúlica e interseccionista, ao mesmo tempo que firma algumas das recorrências temáticas que enformam a sua arte poética, como o sentimento de inadaptação à vida, de permanente incompletude, de narcísico auto-aviltamento e, sobretudo, de consciência dolorosa da irremediável cisão do eu, consubstanciada na dramática tensão entre um eu, vil e prosaico, e um outro, seu duplo ideal.
Mário de Sá-Carneiro, poeta modernista português
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – Indícios de Oiro na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-07-01 14:53:53]. Disponível em

Livros & Autores

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Morte no estádio

Francisco José Viegas

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais