Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Inox

Peça teatral encenada por José Pedro Gomes em abril de 2002, com textos de Ana Bola, Carlos Tê, Clara Ferreira Alves, Herman José, João Cardoso, José Topa, Luísa Costa Gomes, Rui Zink, entre outros. Estreada no Teatro Tivoli, em Lisboa, foi interpretada por José Pedro Gomes, António Feio e Maria Rueff, com cenografia de António Jorge Gonçalves e música dos Morcegos Benz (que também participam como intérpretes). Trata-se de um caleidoscópio de situações do quotidiano, com referências à realidade portuguesa, algumas mais humorísticas, outras mais dramáticas e outras mais cínicas, não existindo ligação entre os diferentes textos, exceto a unificação dos figurinos (os atores vestem fatos às riscas pretas e brancas, aos quais vão acrescentando ou tirando peças).
A origem da peça remonta, contudo, a 1991, altura em que José Pedro Gomes a concebeu juntamente com Ana Bola, dando origem ao espetáculo Inox - Take 5, estreado em 1993 no Auditório Carlos Paredes, sem a interpretação de Maria Rueff.
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – Inox na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-07-02 00:51:13]. Disponível em

Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais