Livros e Autores

Abelhas Cinzentas

Andrei Kurkov

A aldeia das almas desaparecidas

Richard Zimler

A Intuição da Ilha

Pilar del Río

Bom português

puder ou poder?

ver mais

trás ou traz?

ver mais

impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

INXS

Inicialmente chamado The Farriss Brothers (1977), o grupo foi fundado por Garry Gary Beers (n. 22-06-57; baixo), Andrew Farriss (n. 27-03-59; teclas e guitarra), Jon Farriss (n. 10-08-61; bateria), Tim Farriss (n. 16-08-57; guitarra), Michael Hutchence (n. 22-01-60; m. 22-11-97; voz) e Kirk Pengilly (n. 04-07-58; guitarra e saxofone). Começaram por fazer o circuito de bares de Sydney em finais dos anos 70.
Já com a designação de INXS, em 1980 gravaram o álbum homónimo de estreia, seguido de "Underneath The Colours" (1981), trabalhos que se tornaram relativos êxitos na Austrália.
Com "Shabooh Shoobah" (1983), deram-se a conhecer ao mundo, nomeadamente ao mercado norte-americano, graças a temas como "The One Thing" e "Don't Change". Seguiram-se The Swing (1984) e Listen Like Thieves (1985), álbuns que incluíram temas como "Original Sin", "What You Need", "Shine Like It Does" e "Listen Like Thieves". Nesta fase, partiram em várias digressões, mais ou menos extensas, promovendo a imagem da banda.
Editado em 1987, o álbum Kick assinalou o ponto de viagem no sentido da massificação do sucesso do grupo, atingindo o estatuto de multiplatina em todo o Mundo. Com êxitos como "Mistify", "New Sensation", "Never Tear Us Apart", "Need You Tonight" ou "Devil Inside", a banda australiana tornou-se num dos fenómenos mais populares do final da década de 80. Em setembro de 1988 o vídeo Need You Tonight/Mediate ganhou em cinco categorias dos prémios MTV. Por esta altura, Michael Hutchence era visto como o herdeiro do trono de Mick Jagger e os INXS como os grandes rivais dos U2, na querela pela supremacia da popularidade internacional. A fama súbita e em grande escala não parece ter feito bem à banda. Hutchence lançou um projeto paralelo, MAX Q (1990), de cariz experimental, com insucesso.
O trabalho seguinte, X (1990), constituiu uma desilusão comercial, em comparação com o antecessor, apesar de incluir temas como "Suicide Blonde", "Disappear", "The Stairs" ou "Bitter Tears". Live Baby Live, registo de um concerto no Wembley, lançado em 1991, atenuou a curva descendente que os álbuns seguintes vieram confirmar.
Welcome To Wherever You Are (1992), um dos projetos mais ambiciosos da banda, veio provar que a fórmula dos INXS já não estava na moda, Full Moon, Dirty Hearts (1993), praticamente ignorado por todos, críticos e público e Greatest Hits (1994), o último lançamento pela Atlantic. O grupo assinou com a Polygram em 1994 mas precisou de três anos para lançar um novo álbum. Nesse período, Hutchence esteve envolvido em vários escândalos mediáticos, especialmente o caso com Paula Yates. Além disso, o músico mantinha a firme convicção de editar um álbum a solo. Esse disco nunca chegou a acontecer mas chegou às lojas Elegantly Wasted (1997), novo esforço dos INXS para revitalizar a sua imagem e carreira. O longa-duração conheceu um sucesso relativo, ainda assim o melhor do grupo desde a edição de X.
A 22 de novembro de 1997 Michael Hutchence suicidou-se na sequência de um estado grave de depressão.
Em junho de 1999, no âmbito da inauguração do Estádio Olímpico da Austrália, o grupo voltou a juntar-se em palco para um miniconcerto composto por quatro músicas, tendo Terence Trent D'Arby ocupado o lugar de vocalista. No mesmo ano foi editado o álbum a solo de Michael Hutchence, gravado durante os anos de 1995 e 1996.
Os INXS contam com duas nomeações para prémios Grammy em 1989 e 1991.
Das diferentes compilações existentes no mercado, referência para Definitive INXS (2002), um disco duplo que reúne os êxitos do grupo australiano.
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – INXS na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-11-27 16:10:47]. Disponível em
Livros e Autores

Abelhas Cinzentas

Andrei Kurkov

A aldeia das almas desaparecidas

Richard Zimler

A Intuição da Ilha

Pilar del Río

Bom português

puder ou poder?

ver mais

trás ou traz?

ver mais

impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais