Academia Virtual - O Poder da Voz

Livros e Autores

A Intuição da Ilha

Pilar del Río

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

Palavras raras, palavras caras

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Jacquard

Inventor francês, Joseph-Marie Jacquard, nascido a 7 de julho de 1752, em Lyon, e falecido a 7 de agosto de 1834 no mesmo local, desenvolveu o "Tear de Jacquard", que permitiu a um único operador tecer padrões complexos.
O tear de Jacquard começou uma revolta tecnológica na indústria têxtil, e
o sistema dos cartões perfurados usados na sua operação tornou-se um protótipo para os primeiros computadores mecânicos.
Jacquard era filho de um tecelão. Quando seus pais morreram herdou o negócio da família e começou a tecer telas modeladas. Embora as telas modeladas fossem vendidas a preços elevados, as longas horas de trabalho requeridas para produzi-las eliminavam frequentemente todo o lucro.
Em 1790 Jacquard começou a projetar um tear que tecesse padrões automaticamente. A revolução francesa (1789-1799) interrompeu os seus esforços, só tendo terminado a construção do tear em 1801.
Jacquard fez uma demonstração do tear automático em Paris e, em 1804, foi-lhe concedida uma patente e uma medalha pelo seu projeto.
Em 1806 introduziu melhorias adicionais àquele que veio a ser chamado de "Tear de Jacquard".
O governo francês, entretanto, declarou como propriedade pública o "Tear de
Jacquard" e concedeu-lhe somente uma pensão modesta como compensação pelos direitos perdidos.
Muitos tecelões manuais viam então o tear automático como uma ameaça ao seu negócio e queimaram diversas destas máquinas novas; alguns chegaram mesmo a agredir fisicamente Jacquard.
Apesar da oposição, estima-se que cerca de 11 000 "Teares de Jacquard" estavam a ser usados em França em 1812.
O tear de Jacquard podia tecer um padrão sem a necessidade da intervenção do operador durante a produção. Usava um sistema de ganchos e agulhas guiados por um padrão armazenado em cartões de papel grosso, perfurados com furos retangulares. Enquanto a tela era tecida, os ganchos ficavam estacionários na superfície de um cartão. Quando um dos ganchos encontrava um furo, passaria através dele para levantar uma linha e uma agulha introduziria uma outra linha.
Os padrões intricados poderiam ser criados combinando um grande número de cartões no tear, e estes poderiam ser usados repetidamente.
Os teares de Jacquard modernos são ainda usados.
Cartões perfurados similares àqueles usados pelo tear de Jacquard
foram pouco mais tarde usados para dar instruções a outros tipos das máquinas. Em 1890 foram usados para compilar o recenseamento dos Estados Unidos da América.
Esta tecnologia acabou por ser usada para armazenar informação nos primeiros computadores.
O sistema de perfuração de cartões foi substituído com o desenvolvimento dos sistemas magnéticos de armazenamento, que surgem nos anos 50.
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – Jacquard na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-09-30 11:31:03]. Disponível em

Livros e Autores

A Intuição da Ilha

Pilar del Río

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

Palavras raras, palavras caras

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais