Livros e Autores

Abelhas Cinzentas

Andrei Kurkov

A aldeia das almas desaparecidas

Richard Zimler

A Intuição da Ilha

Pilar del Río

Bom português

puder ou poder?

ver mais

trás ou traz?

ver mais

impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

James Cagney

Ator norte-americano nascido em 1899, em Nova Iorque, e falecido em 1986, na mesma cidade. Ficou célebre pela versatilidade que lhe permitiu representar papéis em musicais, comédias e dramas. Filho de pai irlandês, herdou o carácter temperamental do progenitor, algo que demonstraria nos seus papéis cinematográficos. Trabalhou como corista masculino no teatro de vaudeville e, em 1925, chegou à Broadway, onde depressa se tornou numa primeira figura, especialmente depois de Penny Arcade (1929), musical que, quando foi adaptado a cinema com o nome de Sinners' Holliday (1930), contou com Cagney num dos principais papéis. O seu carisma e magnetismo levou a Warner Brothers a propor-lhe um contrato de cinco filmes. Ao terceiro, desempenhou o papel que lhe abriu as portas da fama: The Public Enemy (O Inimigo Público, 1931), onde foi o gangster Tom Powers. Apesar da sua baixa estatura, Cagney tornou-se uma das grandes estrelas de Hollywood, embora inicialmente limitado a papéis de bandido ou mafioso em 'G' Men (Garra de Ferro, 1935), Ceiling Zero (À Margem da Lei, 1936) e Angels With Dirty Faces (Anjos de Cara Negra, 1938), numa interpretação de assassino condenado à cadeia elétrica, papel que lhe valeu a nomeação para o Óscar de Melhor Ator. Ironicamente, foi através dum musical que Cagney chegou ao tão almejado galardão: em Yankee Doodle Dandy (Canção Triunfal, 1942) interpretou a figura verídica do compositor George M. Cohan. Apesar de ter vencido o Óscar, Cagney saiu em litígio da Warner em finais de 1942, fundando a sua própria produtora. Depressa percebeu que os seus filmes mais bem sucedidos comercialmente eram aqueles em que interpretava o papel de gangster como White Heat (Fúria Sanguinária, 1949), de Raoul Walsh, onde celebrizou a célebre personagem Cody Jarrett. Voltou a ser nomeado para o Óscar de Melhor Ator por Love Me or Leave Me (Ama-me ou Esquece-me, 1955), um outro musical em que contracenou com Doris Day e novamente na pele de gangster. Experimentou em seguida a realização com Short Cut to Hell (Atalho Para o Inferno, 1957), mas o filme não foi muito bem sucedido em termos comerciais. Em 1961, decidiu anunciar a sua retirada numa comédia de Billy Wilder: One, Two, Three (Um, Dois, Três), em que são relatadas as desventuras dum executivo duma marca de refrigerante americana em Berlim. A braços com diabetes e problemas circulatórios, Cagney foi recusando convites sucessivos para fazer um regresso triunfal. Foi a conselho dos seus médicos que aceitou desempenhar um pequeno papel no filme Ragtime (1981), de Milos Forman, interpretando um polícia. A sua prestação foi bastante elogiada pela crítica especializada que aplaudiu o regresso dum mito. O seu último trabalho artístico foi no telefilme Terrible Joe Moran (1984), na pele dum velho ex-pugilista.
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – James Cagney na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-11-27 18:52:34]. Disponível em
Livros e Autores

Abelhas Cinzentas

Andrei Kurkov

A aldeia das almas desaparecidas

Richard Zimler

A Intuição da Ilha

Pilar del Río

Bom português

puder ou poder?

ver mais

trás ou traz?

ver mais

impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais