Livros & Autores

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Morte no estádio

Francisco José Viegas

Violeta

Isabel Allende

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Joana Amendoeira

Fadista, Joana Filipe Lopes Penedos Amendoeira nasceu a 30 de setembro de 1982, em Santarém. Mantendo sempre uma linha tradicionalista, é uma das mais precoces fadistas portuguesas, sendo inclusivamente aquela que gravou mais cedo um CD: Olhos Garotos (1998, Espacial), quando tinha apenas 15 anos. Ao contrário de muitas fadistas da sua geração, sente-se mais próxima de Maria Teresa de Noronha do que de Amália Rodrigues.
Motivada pela tradição ribatejana, aos sete anos já cantava o clássico "Cavalo Ruço". Aos 12 anos, participou pela primeira vez na Grande Noite do Fado de Lisboa, onde interpretou "Estranha Forma de Vida" (Amália Rodrigues/Alfredo Marceneiro). No ano seguinte, voltou a concorrer, desta feita na cidade do Porto, e ganhou o prémio para a melhor interpretação feminina, dentro do seu escalão.
Em 1998, deu o seu primeiro concerto no estrangeiro, integrado na iniciativa «Dias de Portugal», em Budapeste (Hungria). No mesmo ano, apadrinhada por Carlos Zel, gravou o seu primeiro álbum, Olhos Garotos. É desde logo notória uma predileção por um repertório tradicional. Assim se encontram temas como "Olhos Garotos" (Linhares Barbosa/Jaime Santos), "Senhora do Monte" (Gabriel de Oliveira/Alfredo Marceneiro) e "A Tendinha" (José Galhardo/Raul Ferrão). É acompanhada por Paulo Parreira (guitarra portuguesa), João Veiga (viola) e o veterano Joel Pina (viola-baixo).
Em 1999, atuou em Paris, com Carlos do Carmo, o que lhe abriu portas para outros concertos, incluindo a participação nas comemorações dos «500 anos do achamento do Brasil». No ano seguinte, gravou o seu segundo álbum, Aquela Rua, já com o estatuto de nome a ter em conta na nova geração. No disco, produzido por Jorge Fernando, Joana Amendoeira é acompanhada por Custódio Castelo (guitarra portuguesa), Carlos Manuel Proença (viola) e Marino de Freitas (viola-baixo).
Em 2003 editou o seu terceiro álbum, que é o primeiro em idade adulta, com o nome Joana Amendoeira. Dos 13 temas interpretados, onze são fados tradicionais. É acompanhada pelo mesmo trio de instrumentistas, só que, desta feita, a produção ficou a cargo do próprio Carlos Manuel Proença. Depois de lançar este disco Joana Amendoeira foi distinguida com o Prémio Revelação 2004 da Casa da Imprensa. No mesmo ano, atuou pela primeira vez no Teatro São Luís, em Lisboa. O espetáculo resultou no seu quarto disco, Ao Vivo em Lisboa, editado em julho de 2005. É acompanhada pelo seu irmão, o guitarrista Pedro Amendoeira, pelo violista Pedro Pinhal e pelo contrabaixista João Penedo e como convidados especiais, o veterano José Fontes Rocha (guitarra portuguesa) e a violoncelista Susana Santos.
A partir de 2000 tornou-se artista residente do Clube de Fado, uma casa de fados da Sé de Lisboa. Frequentou ainda o curso de Antropologia Cultural. Tem dado concertos por todo o mundo, em países como Holanda, Espanha, Inglaterra, Itália, Estados Unidos, Rússia e Áustria.
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – Joana Amendoeira na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-05-29 08:35:36]. Disponível em
Artigos
ver+

Livros & Autores

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Morte no estádio

Francisco José Viegas

Violeta

Isabel Allende

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais