Livros & Autores

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Morte no estádio

Francisco José Viegas

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

John Huston

Realizador, argumentista e ator norte-americano, John Marcellus Huston nasceu a 5 de agosto de 1906, em Nevada, Missouri, numa família de atores, e morreu a 28 de agosto de 1987, em Middletown, Thode-Island. O seu elevado talento não era corroborado por uma ambição à altura mas ficou para a História do cinema como argumentista e realizador com alguns excelentes filmes que nem sempre foram bem sucedidos em termos económicos. O seu primeiro papel como ator teve-o aos três anos de idade e escreveu o seu primeiro trabalho Frankie and Johnny, em 1928, conseguindo trabalho através do pai, o famoso ator Walter Huston, a escrever diálogos para alguns filmes. Depois de uma viagem à Europa, voltou aos Estados Unidos da América para editar uma revista e prosseguir o seu trabalho como ator. Aceitou um contrato de argumentista com a Warner e foi responsável pelos guiões de Jezebel (Jezebel, a Insubmissa, 1938), Juarez (1939), Dr. Ehrlich's Magic Bullet (1940), com a qual conseguiu a sua primeira nomeação para os Óscares, e High Sierra (O Último Refúgio, 1941), com Humphrey Bogart, que também protagonizou o seu trabalho seguinte, The Maltese Falcon (Relíquia Macabra, 1941), consagrando Bogart e dando a John Huston a segunda nomeação para o Óscar do Melhor Argumento, colocando em destaque o seu primeiro trabalho como realizador. O filme Sergeant York (Sargento York, 1941) rendeu a Huston a sua terceira nomeação para um Óscar e ainda escreveu e realizou em 1942 Across the Pacific (Manobras Ocultas, 1942) e This Is Our Life, antes de fazer alguns dos melhores documentários da altura da Segunda Guerra Mundial. The Treasure of the Sierra Madre (O Tesouro da Sierra Madre, 1948) marcou o seu regresso a Hollywood com os Óscares do Melhor Realizador e Melhor Argumento, em 1949. Seguiram-se The Asphalt Jungle (Quando a Cidade Dorme, 1950), com mais nomeações para os Óscares, The Red Badge of Courrage (Sob a Bandeira da Coragem, 1951), um fracasso que é hoje considerado um dos seus melhores filmes, The African Queen (A Rainha Africana, 1951), cujo sucesso lhe trouxe a fama de volta com as nomeações para os Óscares do Melhor Realizador e Argumento e deu a Humphrey Bogart o seu único Óscar, e Moulin Rouge (1952), nomeado para os Óscares de Melhor Filme e Realizador. Seguiram-se, entre outros, Beat the Devil (O Tesouro de África, 1954), filmado em Itália, Moby Dick (1956), A Farewell to Arms (Adeus às Armas, 1957), Heaven Knows, Mr. Allison (O Espírito e a Carne, 1957), nomeado para o Óscar do Melhor Argumento, e The Misfits (Os Inadaptados, 1961), a sua última obra de qualidade. Os filmes seguintes já demonstravam um certo declínio, como foi o caso de A Walk With Love and Death (1969) e The Kremlin Letter (A Carta do Kremlin, 1970).
Antes da sua morte ainda realizou alguns filmes que voltaram a ter a qualidade de outros tempos como The Man Who Would Be King (O Homem Que Queria Ser Rei, 1975), nomeado para o Óscar do Melhor Argumento Adaptado, Independance (1976), Victory (Fuga Para a Vitória, 1981), Annie (1982), nomeado para dois Óscares, Prizzi's Honour (A Honra dos Padrinhos, 1985), nomeado para o Óscar do Melhor Realizador, e The Dead (Gente de Dublin, 1987), o seu último filme. Para além dos citados, John Huston escreveu o argumento de muitos outros filmes, entre os quais Mr. North (Um Homem de Sonho, 1988), realizado pelo seu filho Danny, e foi ator em outros títulos como, por exemplo, The Cardinal (O Cardeal, 1963), em que obteve uma nomeação para o Óscar do Melhor Ator Secundário, Casino Royale (1967), De Sade (1969), Chinatown (1974) e The Wind and the Lion (O Vento e o Leão, 1975). John Huston escreveu a sua autobiografia em 1980, com o título Um Livro Aberto e, em 1983, foi-lhe atribuído o Prémio Honorário do American Film Institute.
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – John Huston na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-06-27 22:16:31]. Disponível em
Artigos
ver+

Livros & Autores

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Morte no estádio

Francisco José Viegas

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais