Natal WOOK
Livros e Autores

Abelhas Cinzentas

Andrei Kurkov

A aldeia das almas desaparecidas

Richard Zimler

A Intuição da Ilha

Pilar del Río

Joni Mitchell

Cantora, compositora, poeta e pintora, Joni Mitchell nasceu a 7 de novembro de 1943, em Saskatchewan, no Canadá. Começou a sua carreira tocando no ambiente folk de Alberta e Toronto, até que se mudou para Detroit, em 1966. As suas atuações cativantes, na era nova-iorquina pós-Dylan, já tinham chamado a atenção da estrela folk-rock David Crosby, que se ofereceu para produzir o seu álbum de estreia, Songs to a Seagull (1968). Tal como Bob Dylan, as músicas de Joni Mitchell, numa fase inicial, tornaram-se êxitos mas na voz de outros cantores. Até que em 1970 surge o seu primeiro êxito com Ladies of the Canyon, que fazia a fusão de elementos folk e jazz com uma conotação pessoal e política. As músicas Willy (que fazia referência ao seu relacionamento com Graham Nash) e Big Yellow Taxi (tema tocado em Woodstock) tornaram-se rapidamente em êxitos.
Em 1971, surge Blue, o seu terceiro álbum, com uma maior sofisticação e letras mais maduras. Este álbum colocou-a na vanguarda musical do género. For the Roses surge em 1972 e revela-se um álbum mais pop, com elementos jazz-rock, o que lhe assegura o seu primeiro grande sucesso: o tema You Turn Me On (I'm a Radio). O álbum de 1974, Court & Spark, foi um best-seller. Possuía uma quase perfeita conjugação de rock, jazz e pop, demonstrada em temas como «Car on a Hill», «Free Man in Paris», «Twisted», entre outros.
Em 1975 edita o álbum ao vivo Mile of Aisles, que marca uma viragem definitiva na sua carreira: foi o primeiro de uma série de discos que se seguiram, tais como The Hissing of Summer Lawns (1975) ou Hejira (1976), que enfatizam o jazz já evidente nos trabalhos anteriores. A sua voz passa a revelar uma entrega total ao jazz, cantando ao som dos ritmos, entrando e saindo das melodias à sua própria vontade.
O ano de 1980 é de Shadows and Light, um álbum gravado ao vivo, que se revela um bom resumo de toda uma época. Com variadas contribuições de enorme valor, neste álbum Joni Mitchell mostra-se quase definitivamente uma cantora jazz (por vezes frágil, mas com uma voz bastante ágil e determinada). Ao mesmo tempo, introduz o que mais tarde se viria a designar por influências da world music, antecedendo Paul Simon, David Byrne ou até Brian Eno.
Estes álbuns estão entre os melhores exemplos da música de fusão da década de 70 do século XX. Na década seguinte edita uma série de álbuns com orientação pop, vocacionados para as tabelas de vendas.
No ano de 1998 foi novamente aclamada pela crítica com Taming the Tiger, onde tocava acompanhada de uma orquestra de 70 elementos.
Em 2000, a cantora gravou um álbum intitulado Both Sides Now, que, segundo as palavras do marido, tencionava ser uma história de amor. O disco incluía versões de temas dos anos 30 e 40.
Em 2001, recebe um grammy que distingue a sua carreira no mundo da música ("Lifetime Achievement Award").
Constantemente a experimentar novas variações da música popular, Joni Mitchell converteu folk em pop, jazz em rock e world music em música eletrónica. Com isto, atingiu um enorme sucesso comercial sem o ambicionar, permanecendo fiel aos seus próprios instintos, e inspirando toda uma geração de cantoras através da sua incessante busca de novos desafios musicais.
O ano de 2002 marcou a edição deTravelogue. Segundo explicações da própria, este será o seu último trabalho gravado. O duplo álbum contém 22 das melhores canções de Joni Mitchell, numa edição especial com imagens de algumas pinturas da cantora.
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – Joni Mitchell na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-12-06 17:55:59]. Disponível em
Livros e Autores

Abelhas Cinzentas

Andrei Kurkov

A aldeia das almas desaparecidas

Richard Zimler

A Intuição da Ilha

Pilar del Río