Livros & Autores

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Morte no estádio

Francisco José Viegas

Violeta

Isabel Allende

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Jorge de Lima

Escritor brasileiro, Jorge Matheos de Lima, nascido a 23 de abril de 1893, em União dos Palmares, Alagoas, e falecido a 16 de novembro de 1953, no Rio de Janeiro, destacou-se como poeta modernista, embora também se tenha dedicado ao romance.
Depois de ter frequentado a escola em Alagoas e Maceió, estudou Medicina em Salvador e no Rio de Janeiro, onde fez uma tese sobre os serviços de higiene.
O seu primeiro livro de poemas, XIV Alexandrinos, foi lançado em 1914, quando ainda estudava Medicina. Depois de se formar, em 1915, regressou a Maceió, onde exerceu medicina e começou a dar aulas na Escola Normal Estadual, da qual chegou a ser diretor.
Em 1925, lançou O Mundo do Menino Impossível, seguindo-se outras obras poéticas como Novos Poemas, Tempo e Eternidade, A Túnica Inconsútil, Poemas Negros e Invenção de Orfeu. A sua obra poética, vinculada à segunda geração do Modernismo, foi distinguida em 1940, pela Academia Brasileira de Letras, com o Grande Prémio de Poesia.
Paralelamente, Jorge de Lima dedicou-se também ao romance tendo publicado, entre 1927 e 1950, obras como Salomão e as Mulheres; O Anjo, Calunga, A Mulher Obscura e Guerra dentro do Beco. Dedicou-se ainda ao ensaio e à História, tendo lançado, nomeadamente, biografias de São Francisco de Assis e Santo António.
Entretanto, em 1930, havia mudado para o Rio de Janeiro, onde também acumulou a medicina com o ensino, dando aulas de Literatura Brasileira.
No Rio de Janeiro, Jorge de Lima passou a dedicar-se, a partir de 1940 e de forma autodidata, às artes plásticas. Três anos mais tarde lançou um álbum de fotomontagens intitulado A Pintura em Pânico, mas experimentou áreas como a pintura, o desenho, a ilustração e a escultura.
Em 1948, foi eleito presidente da Câmara de Vereadores do Rio de Janeiro, depois de antes ter exercido as funções de vereador e de também ter sido, em 1926, eleito deputado estadual pelo Partido Republicano de Alagoas. No entanto, em 1949 abandonou a política para se dedicar essencialmente à medicina e à literatura.
Jorge de Lima viria a falecer aos 60 anos, no Rio de Janeiro.
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – Jorge de Lima na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-05-19 04:20:10]. Disponível em

Livros & Autores

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Morte no estádio

Francisco José Viegas

Violeta

Isabel Allende

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais