Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Joseph L. Mankiewicz

Produtor, realizador e argumentista norte-americano, Joseph Leo Mankiewicz nasceu a 11 de fevereiro de 1909, na pequena cidade americana de Wilkes-Barre. Depois de estudar Psicologia, tornou-se correspondente em Berlim do jornal Herald Tribune de Chicago (1928). Na capital alemã, passou também a traduzir para a língua germânica os filmes americanos que chegavam da Paramount. No ano seguinte, regressou aos EUA, onde se empregou como argumentista. Rapidamente, chega a produtor de filmes como The Philadelphia Story (Casamento Escandaloso, 1940) ou Keys of the Kingdom (As Chaves do Reino, 1944). Estreia-se como realizador, substituindo um doente Ernst Lubitsch em Dragonwyck (O Castelo de Dragonwick, 1946). Continuou a sua carreira dirigindo Rex Harrison em The Ghost and Mrs. Muir (O Fantasma Apaixonado, 1949). De seguida, a sorte não lhe podia sorrir melhor: ganha quatro Óscares da Academia, dois como realizador e outros dois como argumentista por A Letter to Three Wives (Carta a Três Mulheres, 1949), com Kirk Douglas, e All About Eve (Eva, 1950), com Bette Davis e Marilyn Monroe. Mankiewicz tornou-se um cineasta credenciado e os projetos não paravam de lhe chegar às mãos: People Will Talk (Falam as Más-Línguas, 1951), uma comédia com Cary Grant; Julius Caesar (Júlio César, 1952), uma adaptação da obra de William Shakespeare com Marlon Brando no papel de Marco António; e The Barefoot Contessa (A Condessa Descalça, 1954), com Ava Gardner e Humphrey Bogart; todas elas obras com uma grande complexidade narrativa. O nome do realizador também apareceu associado a um dos maiores desastres comerciais do cinema americano: a épica história de amor, com quatro horas de duração, entre a rainha Cleópatra (Elizabeth Taylor) e Marco António (Richard Burton) em Cleopatra (Cleópatra, 1963). O seu filme de despedida foi o policial Sleuth (Autópsia dum Crime, 1972), com Laurence Olivier e Michael Caine. Morreu a 5 de fevereiro de 1993, em Nova Iorque.
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – Joseph L. Mankiewicz na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-08-16 11:29:20]. Disponível em
Artigos
ver+

Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais