Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Jogo dos erros

Júlio III

Papa italiano, nascido em Roma, a 10 de setembro de 1487, João Maria Ciocchi del Monte era filho de um conceituado jurista. Estudou com Rafael Brandolini, cursando depois Direito nas universidades de Perugia e de Siena. Foi camareiro pontifício, cardeal, em 1513 arcebispo de Siponto (na Manfredonia) e oito anos depois de Pavia. Desempenhou também cargos como governador de Roma, auditor da Câmara Apostólica e cardeal de São Vital, tendo também representado Paulo III no Concílio de Trento. Este Concílio, que tinha sido suspenso a 13 de setembro de 1549, foi por ele retomado, a 1 de maio de 1551. Nas sessões realizadas, além de se terem feito determinações acerca dos benefícios, da reforma da jurisdição episcopal e dos costumes clericais, foram ainda instituídos dogmas concernentes à extrema-unção, à eucaristia e à penitência. Não tendo participado desde o início clérigos de doutrina protestante, estes chegaram em 1552, pretendendo retornar ao conciliarismo, ou seja, a superioridade da autoridade de um concílio sobre qualquer decisão tomada pelo bispo de Roma. Esta pretensão não teve qualquer sucesso, e o Concílio foi de novo interrompido a 28 de abril de 1552.
O seu papado ocorreu de 8 de fevereiro de 1550 a 23 de março de 1555.
Foi neste papado que se restabeleceram as relações com a Igreja de Inglaterra, ao subir ao trono Maria Tudor, e a excomunhão foi levantada em 1554.
Júlio III viu-se obrigado a lidar com problemas causados pelas cedências territoriais que Clemente VIII teve de fazer na sequência do saque de Roma pelo imperador Carlos V, em 1527. Foi assim que, em 1551, a Santa Sede entrou mais uma vez em guerra, desta vez contra Octavio Farnese, a quem tinha sido dado o ducado de Parma. Esta doação foi contestada pelo imperador Carlos V, aliando-se então Octávio ao rei de França, contra o papa e o imperador. Júlio III acabou por se desligar do conflito em 1552, que continuou ainda por mais quatro anos.
Este pontífice foi inumado na basílica de São Pedro do Vaticano.
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – Júlio III na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-08-15 22:51:11]. Disponível em

Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Jogo dos erros