Livros & Autores

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Morte no estádio

Francisco José Viegas

Violeta

Isabel Allende

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Jogo dos erros

Leo McCarey

Realizador e argumentista norte-americano, Thomas Leo McCarey nasceu a 3 de outubro de 1898, em Los Angeles, e morreu em 1969.
Em 1919, formou-se em Direito pela Universidade da Califórnia, mas não chegou a exercer a profissão em pleno. Chegou a Hollywood em 1920 pelas mãos de Tod Browning que o contratou como assistente de realização. A sua prova de fogo surgiu no ano seguinte quando assumiu sozinho a direção do filme Society Secrets (1921). Em 1923, o produtor Hal Roach, ciente das suas potencialidades, contrata-o para os seus estúdios. Inicialmente, começou por escrever textos humorísticos para estrelas da comédia como Stan Laurel e Oliver Hardy. Posteriormente, lançou-se na realização de curtas-metragens cómicas, tendo realizado entre 1924 e 1926 perto de quatro dezenas de títulos, alguns deles protagonizados por Charles Chaplin. Em 1926, tornou-se vice-presidente dos Estúdios Hal Roach e supervisor principal da produção de comédias. Regressou à realização em 1929, tendo dirigido uma série de comédias ligeiras protagonizadas pelo popular Eddie Cantor e uma sátira burlesca encabeçada pelos irmãos Marx: Duck Soup (Os Grandes Aldrabões, 1933). A competência cómica do realizador levou a que muitas estrelas de então requisitassem os seus préstimos: W. C. Fields em Six of a Kind (Segunda Lua de Mel, 1934), Mae West em Belle of the Nineties (1934) e Harold Lloyd em The Milky Way (Via Láctea, 1936). Ruggles of Red Gap (O Último Escravo, 1935) tornou-se um clássico do humor, liderado por Charles Laughton na pele de um mordomo que, no decorrer de um jogo de póquer, é apostado pelo seu patrão e vai parar às mãos de um comerciante de gado grosseiro. McCarey venceu o Óscar para Melhor Realizador por The Awful Truth (Com a Verdade Me Enganas, 1937), uma comédia hilariante encabeçada pelo duo Cary Grant e Irene Dunne na pele de recém-divorciados que apostam em estilhaçar mutuamente os seus novos relacionamentos amorosos. Seguiu-se a sua primeira incursão no drama: Make Way for Tomorrow (1937), um realístico retrato de um casal de idosos com dificuldades financeiras que são ostracizados pelos filhos. O realismo dramático do filme não impediu que o filme fosse um fracasso de bilheteira, algo que o realizador conseguiu ultrapassar devido ao capital de confiança de que granjeava entre os principais produtores de Hollywood. Tentou a tragicomédia em Love Affair (Ele e Ela, 1939) sobre um casal (interpretado por Charles Boyer e Irene Dunne) que se apaixona no decorrer de uma viagem de barco. Com este filme, iniciou um período em que assumiu a dupla faceta de realizador e argumentista, premiada com o duplo Óscar em Going My Way (O Bom Pastor, 1944). Após a Segunda Guerra Mundial, e até à sua morte em 5 de julho de 1969, realizou somente oito filmes, entre os quais Good Sam (O Bom Samaritano, 1948) e An Affair to Remember (O Grande Amor da Minha Vida, 1957). Despediu-se com Satan Never Sleeps (O Diabo Não Dorme, 1962), um filme marcadamente anticomunista protagonizado por William Holden.
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – Leo McCarey na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-05-23 00:19:31]. Disponível em
Artigos
ver+

Livros & Autores

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Morte no estádio

Francisco José Viegas

Violeta

Isabel Allende

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Jogo dos erros