Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Líricas Portuguesas

Antologia da poesia lírica portuguesa contemporânea organizada por Jorge de Sena e publicada em 1958. Trata-se, na verdade, da 3.a série de um projeto que visaria oferecer uma coletânea de poetas representativos da lírica portuguesa desde as suas origens e até à atualidade. A 1.a série, organizada por José Régio, cobre quase toda a história da literatura portuguesa, compreendendo autores desde os cancioneiros medievais até ao primeiro quartel do século XX; a 2.a série, coligida por Cabral do Nascimento, engloba os poetas nascidos entre 1859 e 1908, abrangendo apenas cinquenta anos de atividade poética. O autor explica, no prefácio da 1.a edição, que esta 3.a série foi dividida em duas partes: uma primeira parte que inclui sete poetas que deveriam ter sido integrados na 2.a série: Roberto de Mesquita, Raul Leal, Irene Lisboa, Almada-Negreiros, Mário Saa, António Botto, Jorge Barbosa e Saul Dias; e uma segunda parte que recolhe os seguintes poetas, nascidos entre 1909 e 1929: António Gedeão, António Pedro, Políbio Gomes dos Santos, Manuel da Fonseca, Merícia de Lemos, José Blanc de Portugal, Joaquim Namorado, Tomaz Kim, Ruy Cinatti, Luís Veiga Leitão, Álvaro Feijó, Mário Dionísio, Papiniano Carlos, Fernando Namora, João José Cochofel, Jorge de Sena, Sophia de Mello Breyner Andresen, Sidónio Muralha, Raul de Carvalho, Natércia Freire, Francisco José Tenreiro, Carlos Maria de Araújo, Arquimedes da Silva Santos, Amândio César, Carlos de Oliveira, Salette Tavares, Egito Gonçalves, Reinaldo Ferreira, Vasco Miranda, Pedro da Silveira, José Saramago, Eugénio de Andrade, João Maia, António Manuel Couto Viana, Luís Amaro, Mário Cesariny de Vasconcelos, Natália Correia, Alexandre Pinheiro Torres, Fernando de Paços, João Apolinário, Sebastião da Gama, António Aragão, António Ramos Rosa, António Norton, Alexandre O'Neill, António Reis, Nuno de Sampayo, Daniel Filipe, António Luís Moita, Fernando Lemos, Fernanda Botelho, Vítor Matos e Sá, José Fernandes Fafe, David Mourão-Ferreira, Goulart Nogueira, Jorge de Amorim, Fernando Guimarães, José Terra, Fernando Guedes, António Maria Lisboa, Alberto de Lacerda, João Rui de Sousa, Maria Amélia Neto, Fernando Echevarria e Ana Hatherly.
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – Líricas Portuguesas na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-07-04 07:09:10]. Disponível em
Artigos
ver+

Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais