Livros & Autores

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Morte no estádio

Francisco José Viegas

Violeta

Isabel Allende

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Louise Bourgeois

Pintora, escultora, gravadora e desenhadora de naturalidade francesa nascida em 1911, em Paris, onde também passou toda a sua infância. Louise Bourgeois teve uma infância animada, mas deteriorada por difíceis relações familiares: o caso amoroso do pai com a governanta foi talvez o mais visível sintoma de disfunção. Atingindo a maioridade, Bourgeois iniciou os seus estudos superiores na Sorbonne (1932-1935), estudando Matemática, e mais tarde na École des Beaux-Arts em Paris (1936-1938). Mas a sua experiência mais antiga neste campo veio-lhe do trabalho com os pais no seu atelier de restauro de tapeçarias. Depois de casar com Robert Goldwater, um historiador de arte americano, Bourgeois mudou-se para Nova Iorque (1938). Mas os mistérios da sua infância permaneceram vivos dentro dela, exigindo a sua exploração através da arte: "De forma a expressar as insustentáveis tensões familiares, eu tinha de expressar a minha ansiedade em formas que eu pudesse modificar, destruir, e reconstruir".
Louise Bourgeois usa as suas histórias pessoais no seu trabalho. Uma das criadoras mais imaginativas na área da arte contemporânea, trouxe para a arte conceitos feministas e psicológicos antes de estes fazerem parte da cultura popular. As suas esculturas, difíceis de classificar, e exposições são marcadas por uma intensidade emocional e erótica.
Utilizando madeira, papel, metal, látex, tecido, mármore e outros materiais para criar as suas obras pessoais e abstratas, Bourgeois aproxima-se das técnicas modernistas como a colagem cubista, mas já na década de 1970 começa a virar-se para um obscuramente subjetivo e elaboradamente eclético domínio do pós-modernismo. A sua "Desconstrução do Pai" (1979) apresenta um ambiente de caverna onde formas esféricas borbulham das paredes junto a estalactites da cor da carne. As esculturas de Bourgeois esbatem muitas vezes a distinção entre interior e exterior, entre corpo e mente e exploram a natureza e função da memória.
Em 1949 realizou a sua primeira exposição de escultura e, nos anos de 1960 e 1970, os seus conteúdos tornaram-se mais sexualmente explícitos. O seu trabalho começou a ser apreciado e reconhecido na década de 1970 como resultado da mudança de atitude em relação ao feminismo e ao pós-modernismo. Em 1992 desenhou o pavilhão americano na Bienal de Veneza e participou na Documenta 9 em Kassel.
Das suas exposições individuais mais significativas podem-se destacar as seguintes: Louise Bourgeois: Retrospective, Museum of Modern Art, Nova Iorque (1982-83); The Locus of Memory, itinerante: The Brooklyn Museum, Nova Iorque; The Corcoran Gallery of Art, Washington, D. C.; Galerie Rudolfinum, Praga; Musée d'Art Moderne de la Ville de Paris; Deichtorhallen, Hamburgo; Musée d'Art Contemporain de Montréal (1993-96); 1997-98 Yokohama Museum, Tóquio; Louise Bourgeois: Inaugural Installation of the Tate Modern Art at Turbine Hall, Tate Modern, Londres (1999-2000); Louise Bourgeois, Guggenheim Museum Bilbao. De entre os prémios que já recebeu encontram-se o Grande Prémio Nacional de Escultura, oferecido pelo Ministério da Cultura francês em 1991, ou o Leão de Ouro da Bienal de Veneza em 1999. A sua obra está presente nas coleções de museus como o British Museum, Londres, Guggenheim Museum, Nova Iorque e Bilbau, Kunstmuseum Basel, Basileia, Musée National d'Art Moderne, Centre Georges Pompidou, Paris, Museo Nacional Centro de Arte Reina Sofia, Madrid, Tate Gallery, Londres ou o Whitney Museum of American Art, Nova Iorque.
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – Louise Bourgeois na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-05-19 03:23:31]. Disponível em

Livros & Autores

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Morte no estádio

Francisco José Viegas

Violeta

Isabel Allende

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais