Livros e Autores

A Intuição da Ilha

Pilar del Río

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Madonna

Artista norte-americana, Madonna é o nome artístico de Madonna Louise Veronica Ciccone, nascida em Detroit, no estado norte-americano do Michigan, a 16 de agosto de 1958. A sua carreira foi desde o início traçada pelas características mais marcantes da sua personalidade artística: a imagem de menina rebelde, aliada ao seu comportamento ousado e ao modo de estar em palco. Aliás, imagem e sucesso musical sempre mantiveram uma dialética perfeita ao longo da carreira da cantora, sendo a segunda a causa direta da primeira. Ao mesmo tempo, Madonna afirmou-se como um dos mais poderosos símbolos sexuais dos anos 80 e 90. "Like a Virgin", o seu primeiro grande sucesso, em 1984, incorporava já todas aquelas características da cantora que a viriam a tornar famosa: a rebeldia, a sedução e a excentricidade, que se aliariam à extrema dinâmica musical dos seus espetáculos ao vivo. Madonna provaria ser uma artista de palco, não de estúdio, revelando melhor a sua personalidade artística quando colocada diretamente perante o público. Os êxitos musicais da carreira da artista sucederam-se, com "Material Girl" (1985), "Crazy for You" (1985), "Papa Don't Preach" (1986), "La Isla Bonita" (1987), "True Blue" (1987) e outros, que fizeram de Madonna uma das personalidades mais marcantes do espetáculo norte-americano. Pelo contrário, as experiências de Madonna como atriz - em filmes como Desperately Seeking Susan (Desesperadamente Procurando Susana, 1985), Dick Tracy (1990) e Body of Evidence (Corpo de Delito, 1993) - não tiveram, de uma maneira geral, idêntico sucesso. Já Evita (1996), que Madonna protagonizou, contracenando com Antonio Banderas, constituiu um êxito. Em 2000, casou-se com o realizador Guy Ritchie que a dirigiu no enorme fracasso Swept Away (2002).
Em 2003, a cantora estreou-se como autora de livros infantis, ao publicar The English Roses (As Rosas Inglesas), seguido de Mr. Peabody´s Apples (As Maçãs do Sr. Peabody) e de Yakov and the Seven Thieves (Yakov e os Sete Ladrões).
Inspirada na Cabala, o estudo profundo do judaísmo mítico, Madonna alterou, em 2004, o seu nome para Esther, que, segundo o Antigo Testamento, terá sido uma rainha que salvou judeus de um massacre. Com esta mudança, a cantora pretendeu sobretudo atrair novas e positivas energias, uma vez que "Madonna" era também o nome da sua mãe, falecida precocemente.
Madonna num concerto ao vivo
Figura em cera de Madonna, exposta no Museu Madame Tussaud, em Londres
Para além de cantora, Madonna também se notabilizou como bailarina
Ainda nesse ano, a cantora anunciou a sua vinda a Portugal, tendo sido marcados, para 13 e 14 de setembro, no Pavilhão Atlântico, Lisboa, dois mega concertos inseridos na sua digressão mundial Re-Invention Tour.
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – Madonna na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-09-26 00:09:10]. Disponível em

Livros e Autores

A Intuição da Ilha

Pilar del Río

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais