Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Marcello Mastroianni

Ator italiano nascido a 28 de setembro de 1924, em Fontana Liri, e falecido a 19 de dezembro de 1996, em Paris, vítima de cancro no pâncreas.

Durante a Segunda Grande Guerra, foi capturado pelo exército nazi e enviado para um campo de concentração. Conseguiu fugir, instalando-se em Veneza, onde esperou pelo fim do conflito.

Juntou-se a uma compania de teatro amador itinerante e, durante uma representação, chamou a atenção de Luchino Visconti que o convidou a protagonizar a peça teatral Um Elétrico Chamado Desejo.

Gradualmente, tornou-se um dos atores mais promissores do panorama artístico italiano e começaram a surgir os primeiros convites para fazer cinema.

Estrear-se-ia em I Miserabili (Os Miseráveis, 1948), mas só ganhou alguma projeção quando protagonizou ao lado de Sophia Loren a comédia Peccato Che Sia una Canaglia (Que Pena Seres Vigarista, 1955).

Mas o filme que lhe deu maior notoriedade a nível internacional foi La Doce Vita (A Doce Vida, 1960) de Fellini. O seu retrato de jornalista desiludido com a vida tornou-o extremamente popular entre os cinéfilos.

Dois anos depois, era apresentado a Hollywood, obtendo a nomeação para o Óscar de Melhor Ator com o seu trabalho na comédia Divorzio All'Italiana (Divórcio à Italiana, 1962).

O seu retrato de aristocrata siciliano falido tornou-o no primeiro ator europeu a ser nomeado para o Óscar de Melhor Ator por um trabalho num filme falado em língua que não a inglesa.

Continuou a demonstrar o seu talento em filmes de culto como Otto e Mezzo (Fellini Oito e Meio, 1963), Lo Staniero (O Estrangeiro, 1967) e La Grande Bouffe (A Grande Farra, 1973).

Em 1972, iniciou uma longa relação afetiva com Catherine Deneuve de quem viria a ter uma filha, Chiara Mastroianni, que seguiria a carreira dos progenitores.

Mastroianni viria a ser nomeado por mais duas vezes para o Óscar de Melhor Ator: pelo seu trabalho em Una Giornata Particulare (Um Dia Inesquecível, 1977) de Ettore Scola, onde incorporou um atormentado homossexual, e por Oci Ciornie (Olhos Negros, 1987) de Nikita Mikhalkov onde interpretou o papel de um rico arquiteto que se arrepende de ter traído as convicções idealistas que defendera quando novo para embarcar num casamento por interesse com a filha de um banqueiro.

Trabalharia ainda com Federico Fellini em La Città Delle Donne (A Cidade das Mulheres, 1980) e Ginger e Fred (1986) e com Ettore Scola em La Nuit de Varennes (A Noite de Varennes, 1982). Marcou também presença em dois filmes portugueses: Sostiene Pereira (Afirma Pereira, 1996) e Viagem ao Princípio do Mundo (1997), que viria a ser o seu último filme.
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – Marcello Mastroianni na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-07-02 13:11:47]. Disponível em
Artigos
ver+

Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais