Livros & Autores

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Morte no estádio

Francisco José Viegas

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Mies van der Rohe

Arquiteto alemão, Ludwig Mies van der Rohe nasceu em 1886, em Aachen, na Alemanha, e faleceu em 1969. Estudou durante dois anos na escola de comércio, trabalhando posteriormente como desenhador de estuques. Desloca-se mais tarde para Berlim, onde trabalhou com o arquiteto Bruno Paul e, a partir de 1908, com o arquiteto Peter Behrens, em cujo atelier conheceu Gropius e Le Corbusier. Em 1911 deixa o estúdio de Behrens, desenvolvendo individualmente alguns projetos, como o da Embaixada Alemã em Petersburgo ou o do arranha-céus na San Friedrichstrasse, em Berlim.
Esteve ligado ao movimento expressionista alemão "Novembergruppe" desde 1922, período em que realiza o Monumento a Karl Liebknecht y Rosa Luxemburgo.
Em 1926 torna-se vice presidente do Werkbund e, no ano seguinte, organiza a exposição do Weissenhof, em Estugarda, atividade que foi determinante para o convite formulado para o desenho do pavilhão Alemão na Exposição Internacional de Barcelona de 1929. Neste edifício condensa a sua pesquisa sobre a planta livre, valorizando as qualidades de continuidade e fluidez espacial, obtidas pela articulação de planos associados a uma materialidade acentuada pela oposição entre os valores de encerramento e de transparência.
"Edifício Seagram" em Nova Iorque, de Mies van der Rohe
"Casa Tugendhat" em Brno, desenhada por Mies van der Rohe em 1928/30
Planta do "Pavilhão Alemão" concebido para a Exposição Universal de Barcelona e reconstruído em 1986
Fachada exterior do "Pavilhão Alemão" desenhado por Mies van der Rohe para a Exposição Universal de Barcelona e reconstruído em 1986
A casa Tugendhat, construída em 1930 em Brno, na Checoslováquia, representa a concretização dos conceitos arquitetónicos contidos no pavilhão de Barcelona num programa de habitação unifamiliar.
Em 1930, num momento em que acumula grande prestígio profissional, assume o cargo de diretor da escola Bauhaus. Vê, no entanto, a seu trabalho altamente condicionado pelas pressões provocadas pela situação política da Alemanha que tornam difícil a sobrevivência da escola. A mudança das instalações para Berlim, em 1932, não evitou o seu encerramento definitivo um ano depois.
Perante a instabilidade política da Alemanha, Mies emigra para os Estados Unidos, iniciando um novo ciclo criativo. Um dos primeiros projetos realizados neste país foi o Campus do Ilinois Institute of Technologie, iniciado em 1939 e só concluído em meados da década de 50 com a construção do Crown Hall. Todo o conjunto representa o culminar da monumentalidade técnica e construtiva da linguagem arquitetónica de Mies. A casa Farnsworth, construída no Ilinóis no final da década de 40 constitui um dos projetos residenciais mais radicais deste arquiteto. A casa apresenta um volume puro, definido por dois planos horizontais (cobertura e pavimento) flutuantes, sustentados por pilares metálicos que deixam livres as fachadas envidraçadas, e um espaço interior fluído, estruturado por um núcleo central de zonas de serviço.
Dos últimos projetos que realiza destacam-se a série de arranha-céus que projeta para Chicago, o edifício Seagram em Nova Iorque bem como a Neue Nationalgalerie em Berlim.
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – Mies van der Rohe na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-06-30 17:55:01]. Disponível em

Livros & Autores

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Morte no estádio

Francisco José Viegas

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais