Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Jogo dos erros

Milton Nascimento

Cantor e compositor brasileiro, nasceu no dia 26 de outubro de 1942, no Rio de Janeiro.

Enquanto jovem formou um grupo com o teclista Wagner Tiso, tocando os temas consagrados da bossa nova.

Conheceu o sucesso como compositor com "Canção do Sal", cantada por Elis Regina em 1966. O segundo lugar no Festival Internacional da Canção, em 1967, com o tema "Travessia", lançou definitivamente a sua carreira de cantor e multi-instrumentista (toca acordeão, baixo, guitarra e piano). No mesmo ano gravou o seu primeiro álbum, o homónimo Milton Nascimento. Desde então construiu um repertório extenso de cerca de três dezenas de álbuns, cruzando sonoridades pop e jazz.

Da sua discografia destacam-se os álbuns: Courage (1968); Milton Nascimento (1969); Clube de Esquina (1972), um dos mais aclamados álbuns da sua carreira, que incluiu os êxitos "Cais" e "Cravo e Canela"; Milagre dos Peixes (1973); Gerais (1976), que incluiu um dueto com a cantora chilena Violeta Parra, em "Volver a los 17" e a colaboração de Chico Buarque em "O Que Será"; Sentinela (1980); Anima (1982); Missa dos Quilombos (1982); Encontros e Despedidas (1986); A Barca dos Amantes (1987), com participação do saxofonista Wayne Shorter; Yauarate (1987); Miltons (1989); Txai (1990); Angelus (1994), com participações especiais de Pat Metheny, Herbie Hancock, Wayne Shorter, Peter Gabriel, James Taylor, entre outros; Amigo (1995); Nascimento (1997), nomeado para um prémio Grammy na categoria "World Music"; e Tambores de Minas (1998
).

Colaborou com artistas de renome mundial como Paul Simon, em Rhythm Of The Saints (1990), Manhattan Transfer, em Brasil (1987), e Sarah Vaughan, em Brazilian Romance (1987
).

Em 1999, o músico editou Crooner, um disco que recolhia algumas das suas músicas preferidas, bem como a primeira música que algumas vez tocou ao vivo, o tema "Barulho de Trem". Destaque ainda para a colaboração do amigo Wagner Tiso. No ano seguinte, chegou às lojas o disco Nos Bailes da Vida, onde figuram algumas faixas compostas por Chico Buarque.

Após três anos sem gravações, o cantor lançou Pietá (2003). Apesar da ausência, Milton Nascimento mantém as suas capacidades em pleno. O disco foi dedicado à madrasta e aborda os temas da infância e do amor, de resto os temas principais da sua música. Uma referência para a faixa "Cantaloupe Island", onde pontificam Herbie Hancock e Pat Metheny. Em geral, o disco recolheu excelentes críticas e constituiu um manifesto inequívoco da longevidade da música de Milton.


Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – Milton Nascimento na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-08-14 02:32:45]. Disponível em

Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Jogo dos erros