Livros & Autores

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Morte no estádio

Francisco José Viegas

Violeta

Isabel Allende

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Miscelanea de Garcia de Resende, e variedade de historias, costumes, casos, e cousas / que em seu tempo aconteceram

Integrada na segunda edição do Lyvro das Obras de Garcia de Resende, e escrita provavelmente nos mesmos anos em que redigiu a Crónica de D. João II, entre 1530 e 1533, a Miscelânea, dedicada a D. João III, relembra, em verso, os grandes acontecimentos e protagonistas da história europeia e portuguesa ocorridos entre meados do século XV e primeiros decénios do século XVI. Refletindo o processo histórico-cultural que acompanhou o nascimento da idade moderna, o autor da Miscelânea assume-se como espectador das inúmeras transformações políticas, económicas, sociais, morais, de modas, de costumes verificadas nos últimos oitenta anos: as viagens de descoberta, a constituição de impérios, a emergência do capitalismo, o desmoronar do sistema feudal, o desenvolvimento da cultura palaciana, a ascensão de novas classes dominantes e novos valores, o aparecimento da imprensa, etc. Aí, a lógica da mudança obedece à sucessão de novidades contrárias: "Vimos rir, vimos folgar, / vimos cousas de plazer, / vimos zombar, apodar, / motejar, vimos trovar [...] E depois vimos cuidados, / paixões, descontentamentos, / muytos malenconizados, / muytos sem causa agravados (...) Vimos muyto espalhar / Portugueses no viver, / Brasil, ilhas povoar, / e aas Indias yr morar, / natureza lhe esquecer: / veemos no reyno metter / tantos captivos crescer, / e yremse hos naturaes, [...]". A enumeração das histórias, "costumes, casos, e cousas" acaba, deste modo, por redundar na constatação de uma desordem, evidenciada, por exemplo, pela arbitrariedade da recompensa de serviços, pois "Muy mal se pode sofer / com siso, nem paciencia, / veer a hûos muytos valer / sem esforço, sem saber, / virtudes, nem eloquencia, / e veer outros questo tem, / e sempre serviram bem, / viver sempre mesterosos, / sem favor, e desgostosos / da gram sem razam que vem." Confluindo na temática do desconcerto do mundo, resolvida na crença de que só a fé em Deus dá sentido à mudança, a Miscelânea nasce, por outro lado, do desejo humanista, já enunciado no prólogo ao Cancioneiro, de registar em vulgar todos os feitos que, mau grado a sua "mundana gloria", não devem ser esquecidos.
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – Miscelanea de Garcia de Resende, e variedade de historias, costumes, casos, e cousas / que em seu tempo aconteceram na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-05-25 18:07:49]. Disponível em

Livros & Autores

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Morte no estádio

Francisco José Viegas

Violeta

Isabel Allende

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais