Livros e Autores

Abelhas Cinzentas

Andrei Kurkov

A aldeia das almas desaparecidas

Richard Zimler

A Intuição da Ilha

Pilar del Río

Bom português

puder ou poder?

ver mais

trás ou traz?

ver mais

impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Monarquia Constitucional

Radica este sistema governativo em 1821, altura em que o duque de Palmela apresentou ao rei D. João VI um esboço de Carta Constitucional de tendência mais ou menos liberal. No ano seguinte, a 1 de outubro, o monarca jurou a constituição liberal, nascida da revolução de 1820, aprovada a 22 de setembro do mesmo ano. Foram assim restabelecidos aos povos (neste caso ao português) os "inalienáveis direitos que a natureza lhes concedeu", direitos estes de arbitragem no exercício do poder pelos governantes. Deste modo o parlamento adquiriu - apesar de ter sido durante um breve período de tempo - o poder máximo, representando o eleitor e a Nação. D. João VI acaba, contudo, por instituir em 1823, através do Decreto de 28 de junho, uma junta encarregue de um projeto de lei fundamental, uma vez que após a Vila-Francada foi abafado o vintismo e o radicalismo liberal inerente. Apesar de Ricardo Raimundo Nogueira ter elaborado no seio desta junta um projeto constitucional, nunca este veio a ser aprovado. Entretanto, morreu D. João VI e em 1826 D. Pedro, imperador do Brasil, foi proclamado rei de Portugal pelo Conselho de Regência. A 2 de maio deste ano abdicou o imperador em favor de D. Maria da Glória, depois de a 29 de abril ter outorgado uma Carta Constitucional a Portugal, que o embaixador de Inglaterra Charles Stuart trouxe para Portugal e que a infanta D. Isabel Maria jurou a 31 de julho. Instituía esta Carta a repartição dos poderes pela Câmara dos Pares e pela Câmara dos Deputados, desempenhando o monarca um papel regulador, detendo igualmente o monopólio da organização política. Com o advento do miguelismo, Portugal viu regressar a tripartição tradicional dos estados no governo do país, tendo sido a Carta de 1826 posta de parte em 1828. Somente em 1842 se iniciou um período estável constitucionalmente, após a imposição de uma série de modelos administrativos.
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – Monarquia Constitucional na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-11-27 05:35:47]. Disponível em
Livros e Autores

Abelhas Cinzentas

Andrei Kurkov

A aldeia das almas desaparecidas

Richard Zimler

A Intuição da Ilha

Pilar del Río

Bom português

puder ou poder?

ver mais

trás ou traz?

ver mais

impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais