Livros & Autores

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Morte no estádio

Francisco José Viegas

Violeta

Isabel Allende

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Jogo dos erros

Mosteiro de Santa Clara-a-Velha

No antigo Rossio de Santa Clara de Coimbra, na margem esquerda do Rio Mondego, localiza-se uma dos mais emblemáticos monumentos do gótico nacional. Trata-se do Mosteiro de Santa Clara-a-Velha, de que subsiste apenas a sua bela igreja.
As freiras clarissas fundaram-no no já longínquo ano de 1286, encontrando-se à frente da irmandade D. Mor Dias, fidalga que esteve ligada ao Mosteiro das Donas, anexo feminino do Mosteiro de Santa Cruz de Coimbra. Os crúzios moveram-lhe uma demanda, de modo a extinguir a ordem das clarissas e a ficarem com a sua imensa fortuna. D. Mor Dias faleceu em 1302, sendo a comunidade de Santa Clara dissolvida em 1311.
Contudo, a intervenção de D. Isabel de Aragão, mulher de D. Dinis, fez ressurgir a ordem das clarissas e desenvolveu o mosteiro. Santa Cruz perdera, definitivamente, a contenda. A Santa Rainha mandou edificar nova igreja e ampliar as instalações do cenóbio. O seu nome ficaria para sempre ligado a Santa Clara. Falecendo em Estremoz no dia 4 de julho de 1326, Santa Isabel de Aragão seria trasladada e sepultada no seu mosteiro de Coimbra a 11 de julho desse mesmo ano.
Mosteiro de Santa Clara-a-Velha, em Coimbra
Fachada lateral do Mosteiro de Santa Clara-a-Velha
O arquiteto régio Domingos Domingues encontrava-se a supervisionar o estaleiro das obras no ano de 1316, vindo a igreja a ser sagrada no dia 8 de julho de 1330. Contudo, um ano depois, uma nova ameaça abatia-se sobre o mosteiro. O Mondego transbordava das suas margens e inundava todo o monumento. Entre 1612 e 1615 foi construído um pavimento a dividir o corpo da igreja em dois andares, estando o inferior constantemente debaixo de água, enquanto as freiras clarissas prosseguiam a sua vida normal no andar superior. Mesmo assim, a existência no mosteiro tornou-se insustentável e doentia; consequentemente, as clarissas abandonaram-no definitivamente em 1667, mudando-se, juntamente com o túmulo da Rainha Santa, para o novo mosteiro de Santa Clara, edificado ao longo do século XVII na vertente do monte da Senhora da Esperança.
Santa Clara-a-Velha é uma igreja importante, quer pela sua qualidade construtiva, quer ainda pela sua alta planimetria, superior ao normal e que o piso posterior, o assoreamento e as águas não deixam perceber na sua globalidade. Exteriormente, a igreja desenha um vasto retângulo, coberto com um telhado de duas águas e que assenta numa linha contínua de modilhões, sobressaindo da sua volumetria o esguio campanário de remate triangular.
O seu corpo é composto por três naves, divididas em sete tramos e totalmente cobertas por abóbada de arcos cruzeiros nas laterais, enquanto a central é coberta por abóbada de berço quebrado e reforçada por arcos torais. A cabeceira é tripartida, estando agora sem a sua cobertura abobadada. Várias janelas de frestas duplas e três rosáceas rasgam as paredes laterais e os topos do convento, iluminando o seu austero interior.
Em 1613, o bispo-conde D. Afonso de Castelo Branco mandou construir no piso superior um ornamental arco tumular maneirista em calcário branco de Ançã, com o intuito de acomodar o túmulo de prata de Santa Isabel de Aragão.
Espaço sagrado ligado indubitavelmente ao nome da Rainha Santa, o Mosteiro de Santa Clara-a-Velha acolheu outras personagens ilustres da História portuguesa. Antes de ser trasladada para Alcobaça, Inês de Castro recebeu aqui sepultura. Os esponsais de D. Duarte realizaram-se nesta igreja. Nas vésperas da fatídica Batalha de Alfarrobeira, o infante D. Pedro - duque de Coimbra e regente do reino na menoridade do sobrinho (o futuro D. Afonso V) - esteve aqui em 1449 para encomendar a sua alma a Deus.
Atualmente, o Instituto Português do Património Arquitetónico e Arqueológico (IPPAR) tem levado a cabo várias campanhas da escavações no perímetro do mosteiro, tendo posto a descoberto os restos do elegante claustro trecentista e outras dependências monásticas.
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – Mosteiro de Santa Clara-a-Velha na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-05-28 09:14:30]. Disponível em

Livros & Autores

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Morte no estádio

Francisco José Viegas

Violeta

Isabel Allende

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Jogo dos erros