Livros & Autores

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Morte no estádio

Francisco José Viegas

Violeta

Isabel Allende

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Musa Alentejana. Lira de outono

Volume póstumo que inclui a segunda edição de Musa Alentejana, prefaciada por António Sardinha, e uma compilação de poesias inéditas, Lira de outono, prefaciada por Hipólito Raposo e dividida em duas partes: "Poemas do Alentejo" e "Últimas poesias".
Na "Abertura" da primeira parte, o autor apresenta os seus versos "sem cor e sem frescura", compostos "à vaga meia luz dos [seus] dias de outono...". À evocação da infância, das suas figuras míticas e do seu espaço simbólico (desde os sonetos iniciais, "Meu pai", "Minha mãe", "Reguengos" e "Recordações"), junta-se a descrição de tipos campesinos e de episódios pitorescos ("O cavador", "O semeador", "S. João", "Lavadeiras"). Nas "Últimas poesias" predominam os motivos fúnebres e decadentistas, evidenciados nos títulos das composições: "Finados", "Chuva", "Noturno", "Tédio mortal" (onde aflora o desejo do suicídio), "Melancolia", "Sexta-feira de paixão" e "Pátria agonizante" (onde a visão decadentista se estende ao destino coletivo da nação).
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – Musa Alentejana. Lira de outono na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-05-18 13:34:36]. Disponível em

Livros & Autores

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Morte no estádio

Francisco José Viegas

Violeta

Isabel Allende

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais