Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

< voltar
< 1 min

Navegações

Poemeto composto e recitado por ocasião da inauguração do monumento a Camões na cidade de Coimbra, no quadro das comemorações nacionais do terceiro centenário da morte do autor de Os Lusíadas. Em versos alexandrinos, numa toada épica, o autor combina a noção de progresso com o nacionalismo visionário, pautado no culto messiânico de Camões e da "velha Alma Portuguesa, heroica e mística".
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – Navegações na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-08-15 20:28:23]. Disponível em

Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais