Academia Virtual - O Poder da Voz

Livros e Autores

A Intuição da Ilha

Pilar del Río

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

Palavras raras, palavras caras

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Negritude

Os chamados movimentos da Negritude começaram por surgir nas Antilhas, no Brasil e nos EUA, fundamentalmente.
Nas Antilhas, as primeiras manifestações surgiram após uma violenta insurreição dos escravos negros, levada a cabo em 1791 pelo negro Toussant Louverture, que acabou por ser preso e mais tarde libertado. Foi exatamente esta a tentativa de dar voz aos negros oprimidos por um regime colonizador, neste caso francês, reivindicando uma sociedade negra livre.
No Brasil, cedo se fez ouvir um forte protesto poético anti-esclavagista. Foi exatamente neste país sul-americano de expressão portuguesa que surgiram as vozes do chamado afro-brasileirismo poético.
Nos EUA, uma vez que se apresentava como o espaço privilegiado para o aparecimento de correntes anti-esclavagistas, apareceram as primeiras manifestações culturais e literárias de um afro-americanismo, através das designações New Negro ou Black Rainaissance, embora este movimento literário cultural seja geralmente conhecido como Black Rainaissance, Renascimento Negro, tendo como centro ou sede o famoso bairro negro do Harlem.
Nos anos 20, este afro-americanismo começou a enviar as suas mensagens reivindicativas para Paris através da música - mais concretamente através do Jazz - com especial relevo para o famoso trompetista negro Louis Armstrong. Com o jazz veio também a poesia e depois o romance e, por influência deles, começaram as primeiras manifestações parisienses de estudantes negros-francófonos, desejosos de criarem uma literatura que falasse verdadeiramente do mundo negro.
Foi neste ambiente de bruscas mudanças éticas e estéticas que surgiu a revista Légitime Défense que, embora não tenha saído do primeiro número, foi decisiva para o aparecimento da Negritude.
Através desta revista dá-se o novo passo decisivo para a plena propaganda da Negritude, com o jornal Estudantil L'Étudient Noir, cujos Diretores eram Léopold Sédar Senghor, Aimé Césair e Léon Damas. Aqui começou a verdadeira reivindicação da africanidade específica, o sentimento de nostalgia da pátria africana e o forte desejo de modificar o destino de todo o povo negro colonizado, fazendo com que lutem por direitos de igualdade e humanidade.
Foram estes os mais puros motes de toda a literatura produzida por esta Negritude. De facto, nos seus temas principais e mais frequentes encontra-se: a revolta contra o sistema social, mais concretamente contra o racismo; o desajuste e injustiça da posição social, histórica e política e a revolta e violência contra as condições criadas em África pela colonização.
Em toda a produção literária deste movimento temos sempre patente o ódio, a raiva, a agressividade e o desejo de vingança e violência contra a descriminação social e racial, que provoca uma angústia existencial e um desejo de ultrapassar as contingências. Assim sendo, toda a poesia da Negritude estava reduzida ao papel de suporte ideológico e social - tratava-se, então, de uma Literatura comprometida, em que o seu principal objetivo era o de reabilitar a raça negra que até então tinha sido humilhada.
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – Negritude na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-10-01 19:37:57]. Disponível em

Livros e Autores

A Intuição da Ilha

Pilar del Río

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

Palavras raras, palavras caras

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais