Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Nikias Skapinakis

Artista plástico português, Nikias Ribeiro Skapinakis nasceu em Lisboa em 1931, cidade onde morreu a 26 de agosto de 2020.

Skapinakis frequentou o curso de Arquitetura da Escola de Belas Artes de Lisboa, que abandonou por motivos políticos. Dedicou se à pintura de uma forma regular, expondo pela primeira vez em 1948, nas Exposições Gerais de Artes Plásticas e, desde então, realizou diversas exposições individuais e participou em numerosas coletivas em Portugal e no estrangeiro. Além da pintura a óleo, como atividade dominante, dedicou-se também à litografia, à serigrafia e à ilustração de livros.

Pintor figurativo, a sua obra foi, muitas vezes, integrada no neo realismo dominante em Portugal, devido à polémica empreendida contra os abstracionistas. Mas o próprio artista, em 1958, na conferência Inatualidade da arte moderna considerou que "cinquenta anos de antirrealismo deixam-nos em pureza, para a aliciante descoberta de um realismo novo".

Três fases distintas se podem demarcar na pintura de Nikias. A primeira caracteriza-se por dominantes ingénuas e populistas onde as suas pinturas são evocações paisagísticas que oscilam entre um lirismo de cores vivas e um paisagismo urbano. A segunda surge com a consciencialização abstrata da superfície plástica. É nesta fase que a sua pintura figurativa retratando personalidades da vida cultural portuguesa absorve elementos da arte pop britânica.

Finalmente, a terceira define-se pela sobreposição de figuras e formas a fundos opacos, bem como pelo contraste entre o monocromático liso das superfícies e a vibração luminosa de amplas manchas recortadas. Nesta fase o artista sofre o "regresso à pintura" que tanto caracteriza a década de 1980 em Portugal.

A partir de meados dos anos 80, a obra de Skapinakis evidencia uma crescente sofisticação, uma síntese formal e cromática entre a sua faceta mais romântica/expressionista e a sua faceta mais irónica/depurada de influência pop.

É autor de um dos painéis do Café A Brasileira do Chiado (1971) e participou na execução do painel comemorativo do 10 de junho de 1974.

Em 1985, o Centro de Arte Moderna da Fundação Gulbenkian apresentou uma exposição antológica da sua pintura, completada com uma retrospetiva da obra gráfica e guaches na SNBA.

Em 1990 ganhou o prémio da crítica, Associação Internacional de Críticos de Arte - Secretaria de Estado da Cultura.

Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – Nikias Skapinakis na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-07-04 01:21:46]. Disponível em

Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais