Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

< voltar
< 1 min

Novo Cancioneiro

Coleção poética lançada em Coimbra, em 1941. Considerada um marco na afirmação da estética poética neorrealista, nesta coleção serão publicados, entre 1941 e 1944, os seguintes volumes: Terra (1941), de Fernando Namora; Poemas (1941), de Mário Dionísio; Sol de agosto (1941) de João José Cochofel; Aviso à Navegação (1941), de Joaquim Namorado; Os Poemas (1941), de Álvaro Feijó; Planície (1941), de Manuel da Fonseca; Turismo (1942), de Carlos de Oliveira; Passagem de Nível (1942), de Sidónio Muralha; Ilha de Nome Santo (1942), de Francisco José Tenreiro; e A Voz que Escuta (1944), poemas póstumos de Políbio Gomes dos Santos.
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – Novo Cancioneiro na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-07-02 03:46:59]. Disponível em
Artigos
ver+

Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais