Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Jogo dos erros

O Delfim

Romance da autoria de José Cardoso Pires.
A narrativa gira em torno da misteriosa morte da esposa de um importante latifundiário, incidente criminal que servirá de ponto de partida para um romance que, absorvendo certas premissas do romance policial, multiplica várias versões sobre uma mesma realidade. A proliferação de verdades (apontamentos do narrador, relatos de testemunhas, boatos, lendas, anedotas, mitos, registos monográficos) acaba por transformar O Delfim num romance onde se conta "o modo como a história se conta, ou melhor, o modo como a história se revela, e, ao revelar-se, se oculta [...] porque a história nunca está presente, reduzida a uma verdade submissa e fixa", e, para além dessa problematização da relação entre a escrita e a realidade, o "que fica são indícios [...] 'sinais de um mundo' que é preciso decifrar" (COELHO, Eduardo Prado, prefácio a O Delfim, Lisboa, Círculo de Leitores, 1986, p. VIII).
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – O Delfim na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-08-08 18:27:48]. Disponível em

Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Jogo dos erros