Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

O Senhor Jesus de Ponta Delgada

Andava uma mulher a apanhar lapas junto ao mar, quando viu a boiar nas águas um crucifixo com uma imagem de Cristo em tamanho natural. Como não conseguia apanhá-la, contou ao padre o que tinha visto.

Impressionado, o sacerdote acompanhou a mulher à praia e aí entrou no mar e retirou a imagem. Esta foi levada em procissão até à capela de Ponta Delgada.

No dia seguinte, perante o espanto geral, o crucifixo estava enterrado na areia da praia, perto do local onde tinha sido achado. A população tornou a levá-lo em procissão para a capela. Horas mais tarde, aparecia de novo na praia. Desta vez, estava rodeado de canas como que a delimitar a área de um templo.

Respeitando a vontade de Cristo, os habitantes iniciaram ali mesmo a construção de uma igreja, que se veio a tornar na paróquia de Ponta Delgada.

Foi construído um muro para proteger o templo da fúria do mar. Diz a lenda que, embora ultrapassassem o muro e chegassem ao adro, as águas nunca se atreveram a entrar na igreja.

Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – O Senhor Jesus de Ponta Delgada na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-08-19 11:44:00]. Disponível em

Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais