Livros & Autores

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Morte no estádio

Francisco José Viegas

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Jogo dos erros

Odes e Canções

Coletânea de poesias prefaciada por Oliveira Martins (que considera o livro de Luís de Magalhães um sinal que contraria a ideia feita da morte iminente da poesia), dividida em "Canções" e "Odes". A primeira parte abre com uma invocação "À musa", a quem o sujeito poético pede "versos suaves" de "fresca melodia", aspirando à "pureza imaculada/ do límpido olhar da infância". Nas "Canções" predomina a temática amorosa ("O amor", "As violetas"), desdobrada na idealização da mulher amada ("Puríssima") e do amor conjugal ("Viuvez", "O cabelo branco") e no motivo da saudade, com intertextualidade garrettiana ("Saudade"), vazada quase sempre em metros tradicionais. A segunda parte inicia-se com nova invocação, no poema "A musa", em que se assinala a inversão temática, mediante o pedido do "tom sonoro da Epopeia", adequado a uma poesia da "História" e da "Ideia". As próprias dedicatórias das composições (a Teófilo Braga, Oliveira Martins, Eça de Queirós, Guerra Junqueiro) assinalam essa inflexão no sentido de uma poesia que conduza a "Humanidade" em direção ao "Futuro" ("Ode aos artistas").
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – Odes e Canções na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-06-25 21:38:27]. Disponível em

Livros & Autores

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Morte no estádio

Francisco José Viegas

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Jogo dos erros