Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Ordem das Mercês ou da Redenção (da Trindade)

A Ordem Real e Militar de Nossa Senhora das Mercês da Redenção dos Cativos ou, mais simplesmente, Ordem de Nossa Senhora das Mercês foi fundada por São Pedro Nolasco a 10 de agosto de 1218, no reino de Aragão, em Espanha.
Quando no início do século XII a maior parte da Península Ibérica estava sob o jugo muçulmano, os naturais sentiam-se escravizados pelos mouros. Perante a situação e um sonho comum, o militar francês de origem fidalga S. Pedro Nolasco, que se dedicava a libertar os cristãos cativos dos mouros, utilizando a sua fortuna, o seu confessor S. Raimundo de Penaforte (um dos mais notáveis teólogos de sua época) e o rei D. Jaime I de Aragão decidiram fundar a Ordem Real e Militar de Nossa Senhora das Mercês da Redenção dos Cativos, movimento de auxílio e libertação dos prisioneiros cristãos humilhados, massacrados e obrigados a converter-se ao islamismo. O rei mandou construir um Convento, S. Raimundo elaborou os estatutos para a fundação da Ordem e S. Pedro Nolasco tornou-se o primeiro Comandante Geral da Milícia. Além dos votos de pobreza, obediência e castidade, os seus membros aceitavam tornar-se escravos, se fosse necessário, para salvar os prisioneiros. Nos primeiros cem anos, mais de onze mil pessoas foram libertadas das mãos dos muçulmanos pelos frades mercedários.
A Ordem de Nossa Senhora das Mercês, após a aprovação do Papa, espalhou-se pela Europa. Quando Cristóvão Colombo descobriu a América, os Mercedários logo aceitaram a tarefa de catequizar o "selvagem americano".
Na cena IX do segundo ato da peça Frei Luís de Sousa, de Almeida Garrett, Miranda destaca o facto de o Romeiro não trazer a cruz. A explicação é fornecida pelo próprio Garrett, em nota ao texto: «Os remidos traziam um escapulário branco com a cruz da Ordem das Mercês ou da Redenção, que entre nós se chama da Trindade. São frequentes nos nossos escritores as descrições da solene procissão em que davam como que a sua entrada pública no seio da cristandade, a que eram restituídos os cativos. Com aquele sinal, que a todos inspirava respeito e simpatia, esmolavam depois pelas terras, e muitos ajuntaram quantias avultadas.»
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – Ordem das Mercês ou da Redenção (da Trindade) na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-08-10 21:35:54]. Disponível em

Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais