Livros e Autores

A Intuição da Ilha

Pilar del Río

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Padeira de Aljubarrota

Brites de Almeida, mais conhecida por padeira de Aljubarrota, não se enquadrava nos típicos padrões femininos: era feia, de cabelos crespos, muito forte e grande. Tinha um comportamento masculino, o que se refletiu nas profissões que teve ao longo da vida.

Nasceu em Faro, no século XIV, de família pobre e humilde, e em criança preferia vagabundear e andar à pancada em vez de ajudar os pais na taberna de onde estes tiravam o sustento diário. Aos vinte anos ficou órfã, vendeu os poucos bens que herdou e meteu-se ao caminho, andando de lugar em lugar e convivendo com todo o tipo de gente.

Aprendeu a manejar a espada e o pau com tal mestria que depressa alcançou fama de valente. Um dia, cansada daquela vida, aceitou o trabalho de padeira em Aljubarrota e casou-se com um honesto lavrador.

Com os primeiros clamores da batalha de Aljubarrota, Brites não conseguiu resistir ao apelo da sua natureza: pegou na primeira arma que achou e juntou-se ao exército português, que naquele dia derrotou o invasor castelhano.

Chegando a casa, cansada mas satisfeita, despertou-a um ruído estranho: dentro do forno estavam sete castelhanos escondidos.

Brites pegou na sua pá de padeira e matou-os ali mesmo. Tomada de zelo nacionalista, liderou em seguida um grupo de mulheres que perseguiram os fugitivos castelhanos que ainda se escondiam pelas redondezas.

Conta a história que Brites acabou os seus dias em paz, junto do seu lavrador, mas a memória dos seus feitos heroicos ficou para sempre como símbolo da independência de Portugal.
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – Padeira de Aljubarrota na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-09-25 12:52:50]. Disponível em

Livros e Autores

A Intuição da Ilha

Pilar del Río

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais