Livros & Autores

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Morte no estádio

Francisco José Viegas

Violeta

Isabel Allende

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Palácio da Bemposta

Após enviuvar de Carlos II de Inglaterra, a infanta D. Catarina de Bragança, filha de D. João IV, decide regressar em 1693 a Portugal e estabelecer-se em Lisboa. Em 1701 escolhe e adquire o Campo da Bemposta para edificar a sua residência, estando a obra a cargo do arquiteto João Antunes. O arquiduque Carlos da Áustria, pretendente ao trono de Espanha e, posteriormente, o oitavo imperador da Alemanha com esse nome, residiu no Paço da Bemposta durante o ano de 1704, pelo que as obras tinham já sido concluídas. No ano seguinte falecia D. Catarina de Bragança, sendo a Bemposta transferida para a Coroa portuguesa. Em 1707, D. João V procede à doação do paço à Casa do Infantado.
O terramoto de 1755 provocou alguns danos no palácio, fazendo ruir parte considerável da sua capela, que veio a ser reedificada. Em 1824, D. João VI residia neste palácio, quando se deu a importante reunião com os políticos e diplomatas que impediram os intentos absolutistas do infante D. Miguel. Após o triunfo dos Liberais em 1833, D. Pedro IV fez dela a sua residência. No ano de 1849 é extinta a Casa do Infantado, sendo o palácio destinado ao Ministério da Guerra, que o converteu na Escola do Exército, atual sede da Academia Militar, ao mesmo tempo que parte da sua cerca era cedida ao Instituto Agrícola.
O palácio apresenta linhas austeras e proporcionadas, sem grande ostentação nos seus três corpos articulados, influenciado ainda pela severidade do Barroco nacional seiscentista. O seu átrio apresenta azulejos de Jorge Colaço realizados em 1918, com motivos bélicos, temática que está presente nas demais obras de arte que decoram as diversas dependências do palácio.
A capela é obra de Manuel Caetano de Sousa, que a reconstruiu na sua quase totalidade, sendo consagrada a N. S. da Conceição. O seu interior apresenta uma sinfonia de cores magistralmente orquestrada e composta pelas pinturas dos tetos em "trompe l'oeil" de Pedro Alexandrino, os mármores coloridos das paredes, a douradura dos retábulos, as madeiras policromas das varandas e do orgão, as sagradas esculturas de vulto dos artistas da escola de Mafra, José de Almeida e Barros Laborão, para além do grande painel de N. S. da Conceição (1783), provavelmente pintado pelo italiano José Troni.
Do seu rico espólio artístico destacam-se ainda a magnífica preciosidade barroca que é a Custódia da Bemposta, e a pintura "Fonte da Vida", tábua quinhentista de Hans Holbein, obras-primas da arte em Portugal e que se encontram no acervo do Museu Nacional de Arte Antiga.
Constituindo-se como residência nobre e paço real nos séculos XVIII e XIX, o Palácio da Bemposta seria convertido e readaptado para acolher a sede da Academia Militar de Portugal.
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – Palácio da Bemposta na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-05-22 15:08:13]. Disponível em
Artigos
ver+

Livros & Autores

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Morte no estádio

Francisco José Viegas

Violeta

Isabel Allende

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais