Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Jogo dos erros

Palácio dos Estaus

O palácio dos Estaus situava-se onde se ergue, desde o século XIX, o teatro D. Maria II, no topo Norte do Rossio. Mandado construir em 1449, pelo regente D. Pedro, o paço dos Estaus (que significava pensão de forasteiros) foi sede da Inquisição em Lisboa (denominada "Casa de Despacho da Santa Inquisição"), sede da Regência e do Governo Provisório, Escola Normal, Câmara dos Pares e Intendência-Geral da Polícia.
O palácio dos Estaus, ardido em 1836, deu lugar ao Teatro D. Maria II, inaugurado em 1846, que também ardeu em 1964, sendo mais tarde reconstruído e reaberto a 11 de maio de 1978
Quando José Saramago, em Memorial do Convento, conta o voo de Bartolomeu Lourenço de Gusmão e dos seus ajudantes Baltasar e Blimunda, diz que os familiares do Santo Ofício "vão na direção do Rossio, do palácio dos Estaus, a informar que fugiu o padre a quem iam buscar para o cárcere".
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – Palácio dos Estaus na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-07-02 05:45:11]. Disponível em

Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Jogo dos erros