Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais

Persépolis

Anteriormente conhecida por Parsa e depois por Istajr, foi a cidade-berço do reino persa, localizada no Vale de Mervdasht, 56 quilómetros a noroeste de Shiraz, conquistada por Alexandre, o Grande, em 311 a. C.
O grande palácio de Persépolis domina um vasto vale fértil na zona persa do Sudoeste do Irão e foi a principal morada dos reis aqueménidas. Os trabalhos de edificação começaram nos finais do século VI a. C. com a construção de um terraço de 500 x 300 metros de área e 12 metros de altura. Os edifícios construídos nesta zona durante cerca de 50/60 anos incluíam grandes paredes e colunas de salas de audiência e receção, armazéns de tributos e outros valores, e quartéis para uma guarnição militar. Deste espaço só as colunas e as zonas de entrada sobreviveram. A grande maioria dos trabalhos de decoração em pedra apresentam baixos-relevos com representações do Grande Rei entronado, soldados e cerimónias de tributo. Os edifícios do terraço, rodeados por maciças paredes fortificadas feitas em tijolo seco ao sol, eram provavelmente usados pela realeza só em ocasiões formais ou em períodos de perigo. As áreas de residência real localizavam-se na zona plana junto ao terraço, onde foram localizados vestígios de palácios, incluindo uma extensa área coberta para caça e um vasto lago ornamental. Uma cidade espraia-se para além da área palaciana, enquanto cerca de seis quilómetros a norte em Naqsh-i Rustam estão os túmulos talhados na rocha dos reis aqueménidas do século V a. C.
Persépolis era sede de um dos diversos palácios persas usados pela Corte durante diferentes períodos do ano. Esta cidade histórica foi classificada Património Mundial pela UNESCO em 1979.
Gravuras em pedras, Persepolis, Irão
Partilhar
Como referenciar
Porto Editora – Persépolis na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2022-08-11 08:44:03]. Disponível em

Livros & Autores

Baiôa sem data para morrer

Rui Couceiro

O Dicionário das Palavras Perdidas

O Crespos

Adolfo Luxúria Canibal

Bom português

puder ou poder?

ver mais

tras ou traz?

ver mais

a folha foi impressa ou imprimida?

ver mais

desfrutar ou disfrutar?

ver mais

caibo ou cabo?

ver mais

extrema ou estrema?

ver mais

brócolos ou bróculos?

ver mais